Repórter News - reporternews.com.br
Opinião
Quinta - 24 de Junho de 2010 às 09:29
Por: Pedro Nadaf

    Imprimir


A internet sem dúvida legitima-se como uma tecnologia revolucionária na comunicação mundial. O tempo recorde com que o conglomerado de computadores foi interligado, em escala planetária, surpreendeu, e continua surpreendendo pela inovação. Há cerca de um ano o Internet World Stats divulgou que 1,73 bilhão de pessoas tinha acesso à Internet, o que representava mais de 25% da população mundial, sendo que a Europa dominava o ranking, com 420 milhões de usuários, mais de 50% da sua população. No Brasil 67,5 milhões estavam interligados, o equivalente a pouco mais de 1/3 de toda America Latina e Caribe, que detinha 175 milhões de usuários.

Empreendedores de visão antenados com o grande nicho da internet hoje estão com empresas rentáveis. Um exemplo que merece ser citado neste contexto é o de Larry Page e Sergey Brin que em 1996 eram estudantes da Universidade de Stanford (EUA), e que a partir da frustração com pesquisas on-lines desenvolveram um projeto de doutorado, que culminou na criação de um sistema rápido de busca universal.

Para se ter uma ideia do sucesso do empreendimento, que leva a chancela Google, vale citar alguns exemplos, da gama de serviços on-line, oferecidos pela empresa, cuja grande rentabilidade é a publicidade, dentre eles, destacam-se: YouTube - o maior armazenador de vídeos do planeta; o Gmail - Serviço de correio eletrônico; Google Earth - visualizador avançado de mapas para qualquer ponto do mundo; o Picasa - gerenciador e organização de fotografias; o Google Voice - Serviço telefônico que reúne todos seus números telefônicos em um único; o Orkut - rede social, com diversos tipos de recursos de comunicação, compartilhamento e pesquisa de pessoas; e o Blogger - ferramenta disponibilizada para construção de blogs. Isso sem contar ferramentas avançadas no campo da saúde e educação.

Os números do Google são relevantes, para mostrar a força que ganharam os empreendedores, Larry Page e Sergey Brin, vale informar que em 2009 a empresa teve uma receita líquida de US$ 4,95 bilhões de dólares.

Na internet, os empreendedores de visão sempre encontram nichos para atuarem. Na rede social, por exemplo, foi criado em 2003, pelos jovens Tom Anderson e Chris DeWolfe, o MySpace. Dois anos depois o portal foi vendido para o grupo News Corporation, de Rupert Murdoch, por US$ 580 milhões. Em 2008 era a principal rede social do planeta, hoje tem 110 milhões de usuários ativos no mundo, detendo o segundo lugar neste ranking, sendo o Facebook criado em 2004, pelo jovem americano Mark Zuckerberg, atualmente com 26 anos, o líder, com meio bilhão de usuários e um faturamento anual entre 700 e 800 milhões de dólares.

Os números citados neste artigo impressionam, mas o que mais surpreende é a capacidade de inovação. Na próxima semana falarei sobre empreendedores brasileiros que também estão fazendo sucesso no universo on-line.


Pedro Nadaf
é secretário de Estado de Indústria, Comércio, Minas e Energia e presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac-MT



Autor

Pedro Nadaf

PEDRO NADAF é secretário-chefe da Casa Civil

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/artigo/1151/visualizar/