Repórter News - reporternews.com.br
Opinião
Sábado - 19 de Maio de 2012 às 18:06
Por: Mario Eugenio Saturno

    Imprimir


Já tive a oportunidade de escrever antes que Jesus é Deus que se fez homem, na verdade, o cordeiro perfeito para o sacrifício salvífico. Jesus explicitou abertamente do Pai e do Espírito Santo. Os três têm a mesma substância divina, ou seja, constituem um só Deus em três Pessoas.

Dom Estêvão Bettencourt fez um estudo detalhado, disponível na internet para quem quiser aprofundar. E desse, destaco a presença da Santíssima Trindade que aparece em algumas passagens marcantes da Bíblia.

Em Mateus (28,18s) vemos a ordem dada por Cristo: ide e fazei que todas as nações se tornem discípulos, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Mais claro impossível, indicando ainda a igualdade de natureza das três Pessoas Divinas.

No Batismo de Jesus (Mt 3,16, Mc 1,11, Lc 3,22, Jo 1,32), o Pai se faz ouvir apontando o Filho, e o Espírito Santo se manifesta sob a forma de pomba (a pomba era, nas literaturas antigas, um sinal que servia para identificar).

Na anunciação do anjo a Maria, o Pai é chamado "o Altíssimo" e o Espírito Santo é identificado com "Poder do Altíssimo" (do grego dinamis). E este recobre Maria com a sua sombra. Assim Maria recebe em seu seio o Filho de Deus.

Em Coríntios (2Cor 13,13): "a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunicação do Espírito Santo estejam com todos vós!", vemos que Deus-Pai é o Amor (assim identificado no Novo Testamento). Jesus é a graça que se comunica a cada homem mediante o Espírito Santo. Veja-se ainda em Tito (Tt 3,4-6)

O Espírito Santo ainda nos faz filhos no Filho, como vemos em Gálatas (Gl 4,6): "Porque sois filhos, enviou Deus em nossos corações o Espírito do seu Filho, que clama: Abbá, Pai!" e ainda em Romanos (Rm 8,15) "recebestes o espírito de adoção pelo qual clamamos: Aba! Pai!". Por isso os antigos cristãos aprendiam a dizer Abbá desde os logo após sua conversão, tornando essa palavra aramaica como a palavra mais fundamental da mensagem cristã.

O papel de cada uma das Pessoas trinitárias é explicitado em Efésios: "por Cristo que temos acesso junto ao Pai num mesmo Espírito". É uma fórmula clássica da piedade cristã dizer "ao Pai pelo Filho no Espírito Santo". Vivemos "no Espírito Santo" (cf. 1Cor 12,3 e Rm 8,9.11).

Em Hebreus (2,3s), Deus (Pai) é o princípio de toda a salvação, o Filho é a Palavra e o Espírito Santo é o que explana e interpreta a mensagem em nossos corações.

Temos ainda a Tradição cristã de Clemente Romano, (+100), Inácio de Antioquia (+107), Policarpo (+155), Justino (+165), Atenágoras (+180), Ireneu (+202), Tertuliano (+220) e Teófilo de Antioquia (+181), o primeiro a usar a palavra "trindade" (triás, em grego), exprimindo de modo mais sistemático a doutrina consagrada pela Escritura. Aliás, Teófilo usa a palavra "trias" como um termo corrente, sem necessidade de explicação, ou seja, já era um termo usual antes dele.

No Credo Niceno-constantinopolitano (325 e 381), aceito por romanos, ortodoxos e protestantes, reza-se: "creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigénito de Deus, gerado do Pai desde toda a eternidade, Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, gerado, não criado, consubstancial ao Pai" e "creio no Espírito Santo, o Senhor, a fonte da vida que procede do Pai; com o Pai e o Filho é adorado e glorificado".


Mario Eugenio Saturno
(mariosaturno.blog.com) é Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e congregado mariano.



Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/artigo/188/visualizar/