Repórter News - reporternews.com.br
Opinião
Terça - 20 de Março de 2012 às 14:01
Por: Juacy da Silva

    Imprimir


Nesta quinta feira, 22 de Março de 2012, será comemorado o “Dia mundial da Água”. Para orientar os países, as organizações públicas e privadas e também as pessoas em geral, a ONU, através da FAO, organismo especializado na area de agricultura e alimentação, sugere que as discussões não devem ficar restritas apenas `a questão da água, mas também a relação desta com a produção de alimentos e outros aspectos macro-econômicos, politicos e sociais.

O tema estabelecido para este dia mundial da água sera: “o mundo está sedento porque está faminto”. De forma direta ou indireta, inclusive através dos alimentos, cada pessoa, em média consome entre dois a quatro litros de água por dia. Todvia, são necesários de dois mil a cinco mil litros de água para produzir alimentos a serem consumidos por uma pessoa por dia. Atualmente a população mundial é de pouco mais de sete bilhões de pessoas e atingirá nove bilhões de bocas e estômagos em 2050. Este é o primeiro e maior desafio: como produzir alimentos, materias primas e água para dar sustentação a este imenso contingente humano?

O outro desafio que vários países, como a China, Índia, Brasil, Bangladesh e vários outros estão se esforçando para vencer é acabar com a fome que ainda atinge centenas de milhões de pessoas pelo mundo afora e é responsável por vários milhões de mortes a cada ano. Mas para vencer o desafio de produzir e distribuir alimentos, primeiro é preciso equacionar o problema da escassez e a qualidade da água existente.

As secas e desastres naturais que todos os anos fustigam vários países além de afetar as áreas agricultáveis tambem deterioram a água existente e em conjunto matam mais do que todas as guerras, conflitos internos e violência juntos. A Ásia e a África são os continents que mais têm sofrido com essas manifestações da natureza.

Em 1948, quando de sua constituição, a ONU estabeleceu que o acesso aos alimentos é também um dos direitos humanos a serem respeitados. Apesar deste compromisso, durante esses 65 anos de existência da ONU e os países membros terem ratificado esta decisão, mais de 100 milhões de pessoas morreram de fome.

No dia 28 de julho de 2010, há bem pouco tempo, novamente outra Assembléia Geral da ONU, ratificada por todos os países, inclusive o Brasil, aprovou a Resolução estabelecendo que o acesso `a agua de qualidade e o saneamento básico também são direitos humanos, da mesma forma que todos os demais inscritos na sua Carta e nas Constituições da maioria dos países membros.

Apesar disso, mais de 65% da população brasileira ainda não tem acesso a saneamento básico e milhões ainda não tem acesso `a agua tratada e de qualidade, inclusive em nossa capital e em vários municipios de MT.

Existem vários desafios que devem ser enfrentados por todos os países e, internamente, pelos Estados e municípios. Como este é um ano eleitoral, seria saudável se os partidos , candidatos e também as diversas organizações públicas e as entidades da sociedade civil organizada ou desorganizada, pudessem refletir sobre tais desafios.

Dentre esses podemos destacar: a) produção de mais alimentos com menos água; b) preparar-se para as mudanças climáticas e desastres naturais que ocorrem praticamente todos os anos; c) proteger os eco-sistemas e as fontes de recursos naturais, incluindo áreas agricultáveis e mananciais; d) reduzir o desmatamento e aumentar as áreas com florestas plantadas; e) maior racionalidade e maior produtividade dos sistemas produtivos; f) reduzir o consumismo, as perdas, os desperdíos e aumentar o consumo sustentável e responsável; g) ampliar as áreas e o volume da produção orgânica; h) re-uso da água utilizada tanto para o consumo doméstico quanto para irrigação, indústria, comércio e serviços; i) transformar a matriz energética, reduzindo as fontes que demandam uso massivo de água ( hidroeletricidade e bio-energia), dando maior ênfase na produção e utilização da energia solar, eólica, gás natural e outras fontes renováveis que usam menor quatidade de água por unidade de energia produzida.

Enfim, ai estão três temas importantes para nossas reflexões: água, saneamento básico e alimentos. Tudo a ver com a qualidade de vida, a dignidade das pessoas e uma gestão pública mais eficiente e menos corrupta!

JUACY DA SILVA, professor universitário, UFMT, mestre em sociologia, colaborador do Site Sonoticias. Blog professorjuacy.zip.net



Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/artigo/238/visualizar/