Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Opinião
Terça - 19 de Fevereiro de 2019 às 07:32
Por: Rosário Casalenuovo Júnior

    Imprimir


O dente natural continua sendo a melhor opção, porém, nos tempos da dentadura, ter os dentes era um problema, pois havia sempre a eminente condição de desenvolver cáries e a pessoa sofrer com dores, e como os profissionais de 50 anos atrás, na sua maioria, não tinham habilidade de tratar, eles extraiam os dentes e instalavam próteses. Basicamente todos os pacientes que tiveram seus dentes “arrancados “, no início da consulta, contam suas histórias trágicas, e ainda hoje não houve mudanças nesse conceito. Tenho visto muitas propostas de colegas em extrair os dentes para se colocar implantes. Continuando com os mesmos ideais: tirar os dentes, porém o que era antes dentadura, agora é implante.

Digo que um dente vale por 10 implantes, porque existe na raiz dele ligamentos que agem como amortecedores para cada mordida, ou seja, o dente flutua nos ligamentos. Outra coisa é a sensibilidade nervosa, na raiz existem neuro-receptores que produzem sensibilidade na mastigação, dessa forma ao se deparar com um grão de areia na mordida, a boca se abre imediatamente. Isto é um estímulo de proteção.

NUTRIÇÃO E PROBLEMAS GÁSTRICOS

Nas perdas dentárias parciais, se coloca uma prótese removível ao invés do implante, por ser mais barata, mas este “barato sai caro”, pois ocorrem os problemas e limitações que as próteses móveis causam na mastigação, tais como: problemas gástricos devido à má mastigação, e até pela escolha dos alimentos moles inadequados para uma nutrição razoável.

Já no idoso, que normalmente se apresenta desidratado, com inflamações e desnutrido, piora suas condições com estas próteses substituindo os dentes, provocando um envelhecimento mais veloz, abreviando o tempo de vida. Frequentemente estes dentes postiços movediços, por dificultarem a mastigação, irão causar problemas nos órgãos digestivos tendo que depois ser indicado o uso de medicamentos para a acidez (Omeprazol ), que altera por sua vez a ação do suco gástrico sobre os alimentos, reduzindo a absorção dos nutrientes acentuando assim a desnutrição. Ou seja, o indivíduo se alimenta, mas não se nutre.

AUTOESTIMA

Todos que me procuram se lamentam da perda dos dentes, reclamando dos pais, dos dentistas, da localidade onde moravam e da situação financeira, restando o trauma, que fica “martelando” na cabeça do paciente, principalmente quando se tem prótese e essa limita a vida, restringindo o sorrir, o comer, o falar, o beijar na boca e até as relações sexuais. Dessa forma, o tratamento para essas pessoas fica mais complicado e muitas vezes insolúvel, se tornando assim uma prisão emocional torturante.

A FALA

Pelo fato do céu da boca ficar coberto pelo material, isso compromete a fala, pois o som emitido fica alterado, com distorções, principalmente quando se tem pontes removíveis apoiadas em dentes, a situação da língua fica complicada pelas alterações de estruturas na cavidade bucal.

INFECÇÕES, LESÕES, TUMORES, BOLSAS GENGIVAIS, CAVITAÇÕES

Muitos dos que possuem remanescentes dentais e com perda de outros, com o uso de prótese removível junto com o descaso com a saúde bucal, tornam-se uma somatória fatal para a evolução de lesões, infecções, tumores, e bolsas gengivais. As bactérias presentes nestas patologias entram na corrente sanguínea e irão para o coração podendo se alojar no seu interior causando endocardite bacteriana, além de criar fungos no sangue. Quase 45% das mortes por infecções generalizadas, em hospitais, são causadas pela boca.

Os traumas constantes com formação de feridas e aftas podem trazer com o tempo lesões, e até mesmo a formação de tumores, porém estes acontecimentos são mais raros comparados com os problemas nos canais dos dentes mortos, estes se tornam um habitat natural para as bactérias e como não possuem mais vasos sanguíneos, que levariam as células de defesa para combater as bactérias nocivas ao organismo, se forma assim uma cavitação no osso, onde habitará uma colônia de micro--organismos inimigos de alta potência, produzindo muitas toxinas que serão soltas no região e cairão na corrente sanguínea, desenvolvendo assim várias doenças crônicas, inclusive o câncer, por isso ao se encontrar um tumor benigno ou maligno mesmo a distância no corpo, deve-se procurar algum foco de infecção em dentes nos lados relacionados.

As próteses removíveis, dentadura ou “perereca” são do passado, já tiveram sua importância crucial, mas depois da criação do implante dentário, elas devem ser extintas. Para aqueles que têm medo de fazer implante, o Instituto Machado de Odontologia Bio-Funcional realiza há vários anos a tecnologia do implante guiado por computador sem cortes. Depois dos procedimentos de implantação, o paciente pode até mastigar sem problemas de dores e sangramentos. Os tratamentos com implantes e a libertação das próteses removíveis é o retorno da dignidade para o ser humano. Está longe de ser um luxo, todos merecem, não aceite viver assim e nem mesmo seus pais ou avós. Ninguém merece este sofrimento e riscos, que ele traz.

Rosário Casalenuovo Júnior é diretor clínico do Instituto Machado de Odontologia; co-autor do livro Cirurgia Ortognática e Ortodôntica; presidente da ABOR-MT (Associação Brasileira de Ortodontia – SEC.MT) Especialista em: Ortondontia (Bioprogressiva e Arco reto); Ortopedia Funcional dos Maxilares Dor Orofacial e Disfunção de ATM Email:dr.rosario@institutomachado.com.br



Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/artigo/2435/visualizar/