Repórter News - reporternews.com.br
Carros & Motos
Domingo - 19 de Setembro de 2010 às 15:57

    Imprimir


As mudanças de versões também reduziram o preço dos modelos anteriores em estoque, mas nem todas as ofertas são bons negócios.

O Honda Civic 2011 chegou sem grandes novidades, mas foi o suficiente para as revendas darem R$ 8.000 de desconto nos últimos Civic 2010.

Já as alterações mecânicas têm menor impacto. "A troca de um motor não desvaloriza tanto quanto uma reestilização, que é mais evidente aos olhos do consumidor", avalia José Acácio, analista de produto da Fiat.

Ricardo Lucas/Divulgação
Fiat Linea recebe motor E.torQ 1.8 (127 cv ou 132 cv, aposentando o propulsor anterior, e parte de R$ 55.450
Fiat Linea recebe motor E.torQ 1.8 (127 cv ou 132 cv, aposentando o propulsor anterior, e parte de R$ 55.450

A montadora acaba de colocar no Linea o motor E.torQ 1.8 (até 132 cv), aposentando o propulsor anterior 1.9, que sempre foi 1.8 (ou 1.832 cm3).

"A potência é a mesma, e a cilindrada não importa tanto para o cliente", diz. O reposicionamento de produtos (troca de preço e de público-alvo) interfere.

A entrada do "aventureiro" Aircross fez a Citroën reposicionar o hatch C3, que ganhou bancos de couro, teto solar e câmbio automático. O preço caiu para R$ 37,9 mil.

Com o lançamento do Hyundai ix35, o Tucson passou a carro de entrada. Em 2007, custava R$ 79 mil, e hoje sai por R$ 61 mil.

O Fiat Palio Fire ganhou equipamentos para sobreviver ao próprio Uno. Já o Fiesta Sedan 1.6 "flex" é oferecido a R$ 35,9 mil após a chegada do New Fiesta. Outra estratégia dos fabricantes para dar um último fôlego às vendas é a criação de séries especiais.

BARGANHA

Para Ricardo Bock, professor do curso de engenharia mecânica da FEI (Fundação Educacional Inaciana), novas séries atraem pela boa relação custo-benefício, ao oferecer um bom pacote de equipamentos com preço menor.

"No entanto, depois de algum tempo, elas perdem o glamour. Apenas acessórios como o ar-condicionado e a direção hidráulica valorizam o carro na revenda", alerta.

Ainda vale a "regra dos dois anos" (tempo mínimo de posse do carro antes de revendê-lo), mas o final do ano pode ser o melhor momento para comprar. Com a chegada dos modelos 2011, as revendas fazem promoções para vender os carros 2010.

"Com as lojas querendo desovar os estoques, o cliente tem margem maior para negociação", diz Alcides Leite, professor de economia da Trevisan Escola de Negócios. Para obter um bom preço, serve a velha dica: pesquisar.

"Defina que carro quer e procure modelos similares em, pelo menos, três concorrentes. Depois, compare os preços e mostre ao vendedor a oferta do concorrente. Se ele [vendedor] não cobrir, procure outra loja", orienta. 






Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/114888/visualizar/