Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Cidades/Geral
Quarta - 11 de Agosto de 2010 às 08:43
Por: Tania Rauber

    Imprimir


A precariedade no abastecimento de água tratada em vários municípios mato-grossenses tem sido denunciada ao Ministério Público Estadual. Em Cáceres (225 km a Oeste de Cuiabá), 30% das residências abastecidas pelo sistema lidam com a escassez de água.

Um estudo técnico feito pelo Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça (Caop) encontrou anomalias em 28 bairros da cidade. A situação é mais crítica em 5 deles, onde a água chega precariamente e, muitas residências, passam dias com as caixas secas. Os outros 23 têm um abastecimento aleatório, ou no período diurno ou noturno. O perito responsável pelo levantamento confirmou ainda a existência de 18 mil ligações no município, sendo que, aproximadamente, 4,2 mil delas são clandestinas.

Segundo o promotor André Luiz de Almeida, o problema é provocado por vazamentos na rede que é muito antiga e não suporta a pressão da água. "O ideal seria a substituição de toda a rede. Mas como exige investimentos altos, vamos propor medidas a curto prazo para resolver os problemas".

A intervenção do órgão ocorreu após moradores de vários bairros solicitarem apoio na resolução do problema. Uma reunião chegou a ser feita com a prefeitura e a Nortec Consultoria, Engenharia e Saneamento, empresa que gerencia o Serviço de Água e Esgoto do município (SAEC), mas nada foi resolvido.

O Ministério Público vai sugerir, novamente, a construção de uma rede subadutora para levar a água do bairro Padre Cassimiro a outros da região, e a perfuração de um poço nas proximidades do DNER ou do Santos Dumont. "Já formamos uma comissão de moradores e vereadores e estamos aguardando a finalização do orçamento destas obras para apresentarmos ao prefeito".

A meta é firmar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para que as obras sejam feitas num curto prazo. Conforme Almeida, caso nenhuma medida seja acatada, ele impetrará uma ação civil pública contra o Executivo para que o Judiciário exija a construção. "É uma questão de dignidade das pessoas, que não tem água nem para tomar banho".

Outro lado - O prefeito de Cáceres, Túlio Fontes, garantiu que as melhorias no sistema serão feitas de acordo com o caixa da prefeitura. "Todas as propostas possíveis nós vamos acatar, principalmente nos bairros mais distantes, onde o problema é maior".

Segundo ele, os problemas na rede ocorrem porque, a medida que a cidade foi crescendo, as redes foram expandidas, mas nem todas da forma correta. "Com isso a água não pode sair com pressão, porque a rede não suporta".

Segundo o prefeito, o município aguarda a liberação de uma emenda no valor de R$ 19 milhões para a execução de outras obras de melhorias visando aumentar a vazão e recuperar as redes, além de ampliar o serviço para atingir 100% da cidade. Atualmente, 90% é abastecida com água tratada. 





Fonte: A Gazeta

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/119419/visualizar/