Repórter News - reporternews.com.br
Cidades/Geral
Terça - 12 de Janeiro de 2010 às 09:42
Por: Maricelle Lima

    Imprimir


A recém-nascida que foi deixada na porta de uma casa do bairro Santa Rosa dentro de uma caixa de sapato, no último sábado, irá para adoção logo que receber alta da UTI Neonatal do Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá (PSMC). Concomitantemente, será instaurada investigação pela Delegacia da Defesa dos Direitos da Infância e Adolescência (Deddica), para encontrar os responsáveis pelo abandono do bebê.

Caso nenhum familiar (pai, mãe, tios ou avôs) apareça ou mesmo reivindique a guarda da criança, além de explicar os motivos que levaram ao abandono, a menina será encaminhada ao Lar Criança até que o processo de adoção seja consumado.

De acordo com o promotor da Vara da Infância e Juventude, José Antônio Borges, há uma fila de espera de casais que aguardam ansiosos para adotar, e que estão na expectativa há pelo menos um ano e meio. “Será feita uma análise dos perfis dos candidatos com preferência para o primeiro casal da fila”, explica.

O conselheiro tutelar Devair Rodrigues Ribeiro disse que vem acompanhando o processo desde quando foi acionado, ainda no sábado, quando a bebê foi encontrada. “Estamos ansiosos para vê-la bem e com saúde. É uma menina cheia de vida”, comenta.

Quem também ainda está muito emocionada com o acontecido é Jane Iria Moraes, dona da casa onde a criança foi deixada. Ela conta que quando viu a caixa de sapado de frente de sua casa e, logo abriu, viu um bebê tremendo, ainda com a placenta e o cordão umbilical. Sentiu algo que ainda não tinha vivenciado. “Foi um momento único da minha vida. Um bebê tão indefeso, pequeno e sem saber de nada estava em minhas mãos”, lembra Jane.

Logo em seguida, procurou a Policlínica do Verdão e, depois o Pronto-Socorro de Cuiabá. Tentou, no domingo, visitá-la, mas foi impedida pelos seguranças do PSMC. “Fiquei muito triste ao ser impedida de vê-la, queria apenas saber como estava”. Outro fato que também a deixou desapontada foi a notícia de que não poderia ter preferência para adotar a bebê, pois se colocou a disposição. Porém, foi informada pelo promotor José Antônio Borges de que a preferência é para os casais que já se encontram na fila.

Outro detalhe salientado por Jane é a filmagem do circuito interno de segurança da sua casa, que identificou um homem sentado na calçada durante toda a madrugada do sábado. Ela conta quem em todo momento em que estava no local, ele demonstrava agito e impaciência, não parava. Sentava e ficava em pé. Por causa de uma mangueira que fica em frente não é possível identificar as características do homem. As imagens foram encaminhadas à Deddica.






Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/146282/visualizar/