Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Cidades/Geral
Segunda - 09 de Novembro de 2009 às 14:00
Por: Luciene Oliveira

    Imprimir


Cerca de 40 agentes públicos do município de Tangará da Serra (239 km a Médio-Norte) participam nesta semana do curso de combate a exploração sexual infanto-juvenil, da Polícia Judiciária Civil, coordenado pela Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica), de Cuiabá.

Na abertura, ocorrida na manhã desta segunda-feira (9.11), no auditório da Centro Estadual de Educação Profissional e Tecnológica (Ceprotec), a delegada Mara Rúbia de Carvalho, titular da Deddica, explicou a importância da instalação dos Centros de Responsabilização como uma das estratégias da Segurança Pública para reunir informações verdadeiras de vítimas, agressores de crianças e adolescentes e assim desenvolver ações mais eficazes de repressão aos crimes de abuso e exploração sexual de menores.

O município de Tangará da Serra é o oitavo polo contemplado com a implantação do Centro de Responsabilização, já instalado também nas regiões de Diamantino, Cáceres, Água Boa, Barra do Garças, Alta Floresta, Sinop e Rondonópolis.

O delegado Regional, Aldo Silva da Costa, disse que a região apresenta poucos índices de crimes sexuais cometidos contra crianças e adolescente, mas com a chegada do Centro de Responsabilização as ações da polícia judiciária serão ainda mais reforçadas. “Apesar de Tangará da Serra não apresentar muitos problemas desse gênero é com grande satisfação que a regional recebe o Centro”, salientou o delegado.

Para o juiz Jamilson Haddad Campos, diretor do Fórum da Comarca, a descentralização de vários segmentos vcontribuirá para formar uma rede de proteção e defesa dos direitos da criança e adolescente. “Precisamos mudar a imagem não só do Estado de Mato Grosso, mas sim a imagem do Brasil. Precisamos resgatar a base familiar que está sendo perdida. E essa rede veio para nos fortalecer”, disse.

A formação tem duração de cinco dias com carga horária de 40/h. O curso é dirigido a agentes públicos, policiais civil, militar, Guarda Municipal, Prefeituras, Conselhos Tutelares, Promotoria da Infância e Juventude, lideranças comunitárias, entre outros.

CENTROS

O projeto de implantação dos centros de Combate a Exploração Sexual Infanto-Juvenil foi criado em 2005 e iniciada a instalação em 2006. Os Centros buscam vencer barreiras como o preconceito, a falta de informações, o temor e o silêncio a respeito do assunto e acabar com a exploração sexual de crianças e adolescentes. E ainda fortalecer a rede de programas e serviços para o atendimento às crianças vitimizadas. Os centros de combate a exploração sexual infanto-juvenil em Mato Grosso atuam de forma articulada com os vários outros segmentos da sociedade que trabalham na defesa dos direitos da criança e do adolescente.





Fonte: Assessoria/PJC-MT

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/151390/visualizar/