Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Esportes
Quinta - 23 de Outubro de 2008 às 10:50

    Imprimir


Cada vez mais próximo de sacramentar sua volta à primeira divisão do futebol nacional, o Corinthians já fala em tom de despedida da Série B do Campeonato Brasileiro e procura tirar o estigma de "inferno" da competição.

Com grandes chances de assegurar seu acesso já neste sábado, em jogo contra o Ceará, com seis rodadas de antecedência, os corintianos ressaltam o trabalho que fizeram no torneio e os bons momentos que tiveram ao lado da torcida.

"Não sei como foi em outros clubes [que conseguiram o acesso], mas aqui se trabalhou muito. Fizemos a Série B não ser um martírio, pela forma com que trabalhamos e nossa dedicação. E o torcedor não ficou atrás, compareceu e incentivou bastante", disse o zagueiro e capitão William.

"Muitos jogadores se negam a jogar em um time quando ele está na Série B, mas não foi o meu caso. Aqui não vou esquecer o quanto nosso torcedor tomou gosto de como torcer. Eles realmente abraçaram a causa. Em muitos times da Série A que disputam o título, a torcida já cobra quando acontece algum tropeço. Aqui não aconteceu isso", disse o lateral-direito Alessandro.

"A gente pode estar mal na partida que o nosso torcedor está cantando. Agora temos uma oportunidade única de sermos lembrados", continuou o lateral.

Para garantir o acesso já neste sábado, a equipe do técnico Mano Menezes precisa vencer o time cearense --chegaria a 70 pontos-- e torcer para que o Barueri ou o Vila Nova, quarto e quinto colocados, respectivamente, ambos com 51 pontos, não vençam na rodada.

O Barueri joga em casa contra o Paraná, no sábado, enquanto o Vila Nova pega a Ponte Preta, em Goiânia, um dia antes.

"Temos que nos focar somente no jogo contra o Ceará. Tivemos muitas dificuldades nos jogos em casa, porque as equipes jogam muito fechadas. Não podemos achar que vai ser tranqüilo ou fácil", disse Alessandro.





Fonte: Folha Online

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/171013/visualizar/