Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Economia
Quinta - 03 de Julho de 2008 às 16:13

    Imprimir


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje, em evento para lançar o Plano de Safra Mais de Alimentos, que não há motivo para perder o sono com a inflação. "Não há motivo para se perder nem meia hora de sono. O que nós precisamos é estar atentos para que a inflação não fuja do controle."

Lula disse que ainda não entendeu o que aconteceu no mundo em relação à crise de alimentos. Por isso, pediu ao Ministro da Fazenda, Guido Mantega, que montasse uma equipe para estudar o problema que tomou conta do mundo hoje.

O presidente considera como possíveis fatores que desencadearam a crise a seca e as enchentes ao redor do mundo. Sobre a culpa ser da China, cujo crescimento aumentou o poder de compra da população, ele disse que isso é apenas uma "meia verdade", mas que existe muita especulação sobre isso.

Apesar de admitir preocupação, Lula afirmou que já encontrou uma forma de combatê-la. "Nós temos que dizer ao mundo que a inflação de alimentos será combatida produzindo mais [alimentos]."

"Nós queremos aumentar a produção de alimentos porque a China, Índia e outros países vão comer mais. Aqui no Brasil, o povo pobre está comendo mais e como isso está acontecendo, nós vamos ter que aumentar a produção de alimentos", disse Lula.

O presidente afirmou ainda que espera que a Venezuela possa ser auto-suficiente na produção de sementes em quatro anos. O Brasil recentemente abriu um escritório da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) na Venezuela --além deste, o país tem outro em Gana.

Sobre os biocombustíveis, o presidente disse que não aceita críticas externas cujas fontes de energia não são renováveis. "Eu não aceito que os dedos sujos de óleo e carvão apontem para o biocombustível limpo do Brasil."

Plano Mais Alimentos

Lula lançou hoje, em Brasília, o Plano Safra Mais de Alimentos, que visa levar financiamento para propriedades rurais que praticam a agricultura familiar. Serão liberados R$ 13 bilhões, além dos R$ 65 bilhões anunciados ontem.

"'Nós temos que dar as pessoas a dimensão de capacidade produtiva. A idéia é levar tecnologia e modernização a agricultura familiar. Nós precisamos dar um salto de qualidade."

O presidente disse também que muitas propriedades são desapropriadas, dadas aos sem-terra e depois, passam-se dez anos e as pessoas ainda não produziram quase nada. Ele afirmou que o incentivo precisa ser dado para essas pessoas também.

O plano de incentivo a agricultura familiar lançado hoje prevê que até 2009 sejam investidos R$ 6 bilhões em melhoria da infra-estrutura agrícola familiar, com 300 mil produtores. Em 2010, o governo espera que esse investimento chegue a R$ 25 bilhões, e número de agricultores aumente para um milhão.

O governo também fez acordos de parceria com acordos de cooperação com a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) e a Abimaq (Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas e Equipamentos) para baratear o custo dos tratores.

Hoje pela manhã o presidente visitou o primeiro agricultor que obteve financiamento com recursos do Plano Safra Mais Alimentos --plano do governo para ampliar para 18 milhões de toneladas a produção da agricultura familiar no país.

O beneficiado foi o agricultor Fernando Kubota, que possui uma propriedade rural de cinco hectares em Brazlândia, no Distrito Federal.





Fonte: Folha Online

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/177415/visualizar/