Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Polícia Brasil
Segunda - 21 de Janeiro de 2008 às 20:07

    Imprimir


Dois soldados da Polícia Militar são acusados de participar de um assalto na terça-feira (15), na guarita do Shopping Pantanal a uma empresária. Os bandidos roubaram mais de R$ 28 mil que ela acabara de sacar na agência do HSBC do shopping. Houve troca de tiros, mas ninguém saiu ferido. Um dos PMs está preso. O segundo está foragido, mas na casa dele, no bairro Dom Aquino, as Polícias Civil e Militar apreenderam carregadores de pistolas, camisetas e coletes da Polícia Civil, além de capas de carteiras com o distintivo da polícia.

Está preso desde a manhã de ontem, segundo o coronel Lino Farias, comandante do CR-2 (Comando Regional-2), de Cuiabá, o soldado Juscelino Frutuoso Júnior, de 26 anos, algemado quando chegava ao 3º Batalhão de Polícia Militar (3º BPM) da Morada da Serra, onde era lotado.

O soldado Manoel Aquino Filho, de 29 anos, lotado no Batalhão de Diamantino (distante 240 quilômetros de Cuiabá), mas de licença médica por 90 dias, escapou de um cerco policial à casa dele, no bairro Dom Aquino no início da tarde de ontem durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão juntamente com um mandado de prisão preventiva expedidos pela juíza da 6ª Vara Criminal de Cuiabá, Suzana Guimarães Ribeiro.

Um terceiro homem, identificado apenas como Jean, que seria parente da empresária e ainda funcionário da mineradora dela, também está foragido e procurado pela ´polícia através de mandado de prisão preventiva. “Foi esse Jean que deu a dica sobre o saque que a empresário efetuou no HSBC do Shopping Pantanal na tarde de terça-feira da semana passada”, afirmou o coronel Farias.

Nas investigações do Serviço de Inteligência da Polícia Militar de investigadores do Centro Integrado de Segurança e Cidadania (Cisc-Norte), no barro Planalto, chefiados pelo delegado Marcos Alvares, a polícia chegou aos três acusados. Mas não descarta a participação de outros bandidos, inclusive de mais policiais militares envolvido em uma quadrilha especialista em assalto.

O soldado Aquino Filho, por exemplo, segundo o coronel Farias, entrou de licença médico local após ser acusado de matar um homem em Diamantino, de de ficar preso por mais de 20 dias.

O soldado Aquino Filho, além do homicídio em que é acusado, também já vinha, juntamente com o soldado Juscelino, investigados pelo Serviço Reservado da PM. Os dois ostentavam mais do que do que recebiam como salários. O soldado Aquino Filho desfilava em Cuiabá com um Vectra e ainda era dono de uma moto de alto valor.




Fonte: 24 Horas News

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/189457/visualizar/