Repórter News - reporternews.com.br
Saúde
Sexta - 29 de Junho de 2007 às 07:02

    Imprimir


Cientistas criaram uma enzima que extrai o HIV, o vírus causador da aids, de células infectadas. A “extração de DNA” não deverá ter aplicação terapêutica imediata. Os pesquisadores, dos institutos alemães Max Planck e Heinrich-Pette, desenvolveram uma enzima que, em laboratório, é capaz de extrair o DNA implantado pelo vírus no genoma humano. O trabalho é descrito na edição desta semana da revista Science.

Vírus como o HIV atuam inserindo seu próprio DNA no genoma da célula infectada. Além de permitir que os genes do vírus se expressem dentro da célula, esse processo garante que o material genético do HIV esteja presente em todas as células geradas a partir da divisão da hospedeira original.

“O vírus liga-se de modo inseparável ao hospedeiro, o que torna uma ‘cura’ da aids virtualmente impossível”, escreve o biólogo americano Alan Engelman, do Instituto Dana-Farber, em comentário que acompanha o artigo da Science. Por isso, boa parte das pesquisas de combate à aids se voltam para tentar impedir que o vírus penetre nas células.

Os pesquisadores, liderados por Indrani Sarkar, do Instituto Max Planck, chegaram a esse resultado com a criação de uma forma específica da enzima recombinase, preparada para reconhecer e extrair os trechos de DNA do HIV do genoma humano. A recombinase usada como base para o experimento, chamada Cre, é largamente utilizada para recortar e recombinar seqüências de DNA em experiências com genes de camundongos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo





Fonte: AE

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/219385/visualizar/