Repórter News - reporternews.com.br
Saúde
Terça - 26 de Junho de 2007 às 19:06

    Imprimir


A Cemat está iniciando um importante empreendimento elétrico na região Norte do Estado. Trata-se da construção da Linha de Transmissão (LT) que vai de Nova Mutum até o distrito de Boa Esperança, em Sorriso. E para dar andamento à obra, a distribuidora vai realizar audiências públicas, no período de 26 a 28 de junho, com a intenção de informar e esclarecer dúvidas aos proprietários de terras incluídas no traçado previsto para a LT.

As audiências serão realizadas nas Câmaras Municipais de Nova Mutum (26/06), e de Santa Rita do Trivelato (27/06) e na Escola do distrito Boa Esperança (28/06), sempre às 19h. O objetivo é informar, discutir, esclarecer dúvidas e ouvir opiniões sobre os anseios da comunidade com relação à construção da LT.

Obra - Para o Sistema de Transmissão de Nova Mutum, Santa Rita e Boa Esperança, a Cemat prevê investimentos de mais de R$ 30 milhões. Serão construídos 166 km de linha e novas subestações (SE’s) em Santa Rita e Boa Esperança, além da ampliação da SE de Nova Mutum. “Esse investimento vai trazer muitos benefícios para a região, entre eles, maior disponibilidade de energia elétrica, mais confiabilidade ao produto, incentivo ao crescimento econômico e maior qualidade de vida à população”, comemora o Vice-presidente de Operações da Cemat, Arlindo Napolitano.

O executivo destaca ainda que, em todas as fases de implantação do Sistema, a Cemat respeita o meio ambiente, cumprindo com a legislação ambiental. “Temos sempre cuidado com a escolha do traçado da linha para que cause a menor intervenção possível no meio ambiente. Monitoramos e controlamos os processos erosivos, além de realizarmos programa de educação ambiental para trabalhadores nas obras e comunidade”, garante Arlindo.

Traçado - Seguindo diretrizes de preservação ao meio ambiente e visando a diminuição dos impactos sobre a vegetação, a concessionária desenvolveu um traçado para que a LT passe apenas por estradas existentes e áreas já alteradas pelo homem. Além disso, por onde a linha passar, serão instituídas faixas de servidão administrativa com 15 metros de cada lado, possibilitando o acesso das equipes para construção, inspeção e manutenção do empreendimento.

Nessas áreas, é permitido o plantio de algumas culturas temporárias ou de baixa altura, como soja e café. “Apenas alguns cuidados são necessários para uma convivência segura entre o proprietário da terra, a linha e o meio ambiente”, finaliza Arlindo.




Fonte: Assessoria

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/219642/visualizar/