Repórter News - reporternews.com.br
Internacional
Quarta - 06 de Junho de 2007 às 05:46

    Imprimir


O conselhoco Central Europeu (BCE) começou hoje sua reunião mensal para debater a política monetária da eurozona, e a previsão dos analistas é de uma elevação das taxas de juros, que deverão assim chegar ao seu nível mais alto em seis anos.

O conselho de Governo do BCE, integrado por 19 membros e reunido na sede central do banco, em Frankfurt, aumentará a taxa básica em 0,25 ponto, até 4%, segundo a maioria dos analistas. O objetivo é conter as pressões inflacionárias criadas pela recente alta do petróleo e dos alimentos.

O BCE tem alertado há meses para as pressões de alta sobre os preços, apesar de a taxa anualizada de inflação se manter abaixo do limite estabelecido, próxima mas sempre abaixo dos 2%.

Os mercados financeiros acompanharão com grande atenção os comentários do presidente do banco, Jean-Claude Trichet, sobre a situação econômica da área e a inflação. Eles podem dar pistas de quais serão os próximos movimentos de sua política monetária.

Muitos analistas consideram que o BCE deixará a porta aberta para endurecer ainda mais a política monetária no segundo semestre.

O bom desempenho da economia na zona do euro, até agora superando as expectativas dos analistas, pode criar riscos inflacionários a médio prazo. A previsão é de reivindicações salariais, com as empresas elevando os preços em conseqüência.

O presidente do BCE disse no mês passado que o conselho de Governo mantém uma "forte vigilância" sobre a inflação para decidir o aumento das taxas em junho. Desde dezembro de 2005, os juros subiram sete vezes.

Desde que começou o atual ciclo de alta das taxas, Trichet tem utilizado sempre esta fórmula um mês antes de anunciar o aumento.

Até agora o BCE considera a alta das taxas como parte de um processo de contenção da expansão monetária.

Os mercados observarão a partir de agora a linguagem do BCE para poder entrever se a política monetária será ainda mais restritiva nos próximos meses.

O Banco da Inglaterra manterá hoje a taxa em 5,5%, após a elevação de maio para frear a inflação.

Os resultados da reunião serão anunciados em Frankfurt, às 11h45 (8h45 de Brasília). Trichet dará posteriormente uma entrevista coletiva apresentando detalhes das deliberações, assim como suas últimas projeções trimestrais de crescimento e inflação.





Fonte: EFE

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/223320/visualizar/