Repórter News - reporternews.com.br
Saúde
Quinta - 17 de Maio de 2007 às 15:02

    Imprimir


Um grupo internacional de cientistas decodificou hoje o genoma do mosquito transmissor da dengue e da febre amarela, doenças que matam cerca de 30 mil pessoas por ano na América do Sul e na África.

A descoberta oferece novas alternativas para ajudar a controlar a disseminação destas doenças, disseram os pesquisadores Horacio Naveira e Javier Costas, que participaram do estudo que decifrou as seqüências genéticas do mosquito Aedes aegypti. Os resultados da pesquisa forma publicados na edição mais recente da revista Science.

O doutor Naveira disse que a dengue é uma doença comum na América do Sul, Sudeste Asiático, Índia, e África, com 50 milhões de casos ao ano. Cerca de 500 mil pessoas apresentam o tipo mais grave transmitido pelo mosquito, a dengue hemorrágica.

A única forma de prevenir a doença é controlando a reprodução do vetor. "A importância da decodificação do genoma do mosquito Aedes aegypti está no papel fundamental da espécie como transmissora dos vírus causadores da dengue e febre amarela", disse o cientista.

"Os genes que formam (o genoma) poderão ser identificados e será possível atribuir a eles uma função concreta. Se pudermos identificar os genes envolvidos na transmissão do patógeno que causa uma doença, poderemos enfrentá-lo com mais eficácia, por exemplo, tentando aumentar, nas povoações, o número de mosquitos com determinadas variações genéticas", concluiu.





Fonte: EFE

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/226951/visualizar/