Repórter News - reporternews.com.br
Meio Ambiente
Sábado - 10 de Fevereiro de 2007 às 09:18

    Imprimir


O dono da Virgin, o empresário britânico Richard Branson, ofereceu hoje um prêmio de US$ 25 milhões (cerca de R$ 53 milhões) a quem elaborar uma fórmula para eliminar os gases do efeito estufa da atmosfera. Ao lado do ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al Gore e de outros famosos defensores do meio ambiente, Branson incentivou os "cérebros mais brilhantes do mundo a idealizar uma forma de eliminar pelo menos o equivalente a 1 bilhão de toneladas de carbono por ano e, com um pouco de sorte, muitas mais".

"Eles terão a satisfação de salvar milhares de espécies e, possivelmente, a própria humanidade", acrescentou o proprietário da Virgin em entrevista coletiva realizada em Londres. O Virgin Earth Challenge, nome do prêmio, será concedido à pessoa ou ao grupo que elaborar um projeto comercialmente viável que permita a eliminação de quantidades significativas de gases do efeito estufa da atmosfera, de forma a conseguir a estabilidade do clima na Terra.

Além disso, o vencedor deverá ser capaz de demonstrar que a invenção não tem contra-indicações e que seus efeitos benéficos terão longa duração. Os organizadores do prêmio destacaram o momento escolhido para divulgar a iniciativa, uma semana após o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) ter advertido, em Paris, que o aquecimento da Terra é irreversível devido às emissões de dióxido de carbono (CO2) e de outros gases do efeito estufa da era industrial.

"A menos que possamos criar uma forma de eliminar as emissões de CO2 da atmosfera terrestre, metade das espécies da Terra será extinta, inclusive o urso polar e os recifes de corais; cem milhões de pessoas serão deslocadas devido aos níveis crescentes do mar, e as terras de cultivo virarão desertos", alertou Branson. Al Gore, indicado este mês para o Prêmio Príncipe de Astúrias de Cooperação Internacional 2007, afirmou que os homens não estão acostumados a pensar em "uma emergência planetária".

"Não há nada em nossa história como espécie que nos prepare para imaginar que nós, seres humanos, poderíamos estar em vias de destruir a habitabilidade do planeta para nós mesmos", disse Gore. O democrata também concorre ao Oscar de melhor documentário por seu filme "Uma Verdade Inconveniente", em que alerta para os riscos do aquecimento global. O dono da Virgin destacou que o Virgin Earth Challenge é o maior prêmio oferecido até agora neste âmbito e comparou a premiação com o concurso realizado pelo Governo britânico em 1714 que tinha como objetivo encontrar um método eficaz para determinar a longitude para os navegantes.

"Quase 60 anos depois, John Harrison recebeu o prêmio das mãos do rei George III por ter criado um cronômetro (relógio marítimo) preciso e resistente que permitiu salvar milhares de vidas no mar", afirmou Branson. "A Terra não pode esperar 60 anos. Precisamos que todos os capazes de encontrar uma resposta comecem a pensar agora", acrescentou. "Quero um futuro para meus filhos e para os filhos dos meus filhos. O relógio está correndo", disse Branson, que não conseguiu escapar da pergunta sobre como podia oferecer esse prêmio se também dirige uma companhia aérea que contribui para as emissões de dióxido de carbono.

"Tenho uma companhia aérea. Posso me permitir retirá-la de serviço. Minha família possui negócios na telefonia celular e em outros setores, mas, caso a retiremos do serviço, a British Airways simplesmente ocupará seu lugar", respondeu. "O que estamos fazendo é garantir que conseguiremos os aviões" menos poluentes, disse Branson. A convocação será feita em um prazo de cinco anos. Além de Gore e Branson, o júri é formado por personalidades de prestígio como o cientista australiano Tim Flannery e o ex-diplomata Crispin Tickell, que se reunirão anualmente para avaliar os projetos apresentados.

O prazo poderá ser renovado caso, após este período, um projeto vencedor não ter sido apresentado. O diretor da organização ambientalista Amigos da Terra, Tony Juniper, aprovou a iniciativa. No entanto, lembrou que muitos projetos para enfrentar a mudança climática já existem, mas não estão sendo aplicados. "Sir Richard também deve prestar atenção às suas atividades empresariais e à sua contribuição para a mudança climática", disse Juniper.





Fonte: Terra

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/242845/visualizar/