Repórter News - reporternews.com.br
Economia
Quinta - 07 de Dezembro de 2006 às 11:45

    Imprimir


Levantamento conjuntural feito pelo Departamento de Pesquisas Econômicas da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso – Fecomércio/MT, indica que as vendas de final de ano terão um incremento na ordem de 8%, em relação ao mesmo período do ano 2005. Nos primeiros dias de dezembro, quando o setor iniciou seu horário especial de atendimento, já se verifica sinais de melhor desempenho, disse o presidente da entidade, Pedro Nadaf. Afinal, a previsão é de que sejam injetados no setor R$ 600 milhões, oriundos do 13° salário e outros ganhos salariais convencionais.

Os setores que estão fazendo relativo sucesso nas vendas de final de ano são os eletrodomésticos e eletroeletrônicos. Em virtude dos juros, um pouco mais favoráveis, já que o Banco Central cortou 0,5% a taxa referencial anual, produtos nestas linhas, estão sendo mais procurados pelos consumidores, que podem pagar de forma muito atrativa, inclusive com parcelamentos longos com um acréscimo pequeno. Há grandes magazines que até mesmo estão dando crédito em até oito vezes sem aplicar os juros, visando um incremento ainda maior no volume dos negócios. O presidente acredita que será uma ótima oportunidade para se tentar reverter o mal desempenho vivenciado por estes segmentos neste ano, já que conviveram com queda em nível nacional.

“É natural que os pequenos presentes, de menor valor, serão os campeões de vendas”, disse Nadaf. Ele aponta ainda que o comércio eletrônico deverá recuar um pouco no volume de negócios, em detrimento ao convencional, pois as pessoas querem viver o espírito de Natal, irem as lojas, aos shoppings, sentir realmente o clima natalino e isto estimula as compras. Portanto, vale lembrar que o comércio está obedecendo o seguinte horário de funcionamento, com exceção aos shoppings: até dia 10, será 20h00; de 11 a 23, até 22h00; dia 24 até 20h00; de 26 a 30, até 20h00 e dia 31 até 18h00. Além de maior circulação de dinheiro no mercado, Nadaf aponta que há um incremento da mão-de-obra contratada temporariamente. São 6.600 pessoas que melhoraram, portanto, o seu poder de compra, no período, isto também contribui para as vendas.

Embora não cometessem excessos, Nadaf disse que os empresários do comércio se prepararam bem para atender a demanda e que não há previsão de que faltem produtos de todos os gêneros no mercado.

As formas de vendas, na avaliação, da Fecomércio/MT ocorrerão na seguinte classificação: 29% a vista – dinheiro, ou cheque; 27% no crediário e duplicata, 24% no cheque pré-datado e 20% no cartão de crédito.





Fonte: Só Notícias

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/255793/visualizar/