Repórter News - reporternews.com.br
Economia
Sexta - 24 de Novembro de 2006 às 15:08
Por: Raquel Teixeira

    Imprimir


Um novo experimento entra em campo em Mato Grosso para testar a funcionalidade e performance do biodiesel em maquinários agrícolas. Dois tratores da empresa fabricante Valtra serão operados nas lavouras de cana da usina Barralcool, em Barra do Bugres, em um período de um ano e meio para testar os combustíveis B-50, com adição de 50% de biodiesel e B-100, com 100% do combustível.

Os tratores estão na usina desde essa terça-feira, quando foi inaugurada a primeira planta de biodiesel de Mato Grosso e única no mundo a operar em integração a uma fábrica sucroalcooleira

No projeto, que tem a parceria da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat), a intenção é demonstrar nesse período a viabilidade econômica e capacidade dos maquinários para o trabalho na produção agrícola, que tem entre os insumos o combustível como um dos itens mais dispendiosos. Um terceiro trator será operado como espelho para o teste, porém, abastecido com diesel.

O acompanhamento do projeto será realizado também pelos alunos da Unemat do curso de Engenharia de Produção, do campus em Barra de Bugres. O acordo técnico de cooperação foi assinao entre o reitor da instutuição, Taisir Karim e o representante da Valtra.

Segundo o reitor, o projeto é mais uma inovação da qual a Unemat tem oportunidade de participar para que a produção da região possa ser beneficiada. “Profissionais e alunos estarão envolvidos em um teste que com certeza trarão resultados positivos”, avaliou Taisir.

PESQUISA

A Valtra iniciou os projetos de pesquisa científica com biodiesel em 2001, em parceria com a Unesp e Fapesp, e em 2005 lançou os testes com o primeiro trator para avaliar os riscos e vantagens do biodiesel como alternativa à produção agrícola, principalmente, a canavieira, pois as usinas chegam a consumir na safra entre 15 e 25 mil litros de diesel por dia.

O primeiro teste no campo foi homologado pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) em quatro tratores da empresa na usina Catanduva, utilizando o óleo diesel adicionado a misturas de mamona- B-5, e soja – B-5 e B-20; e um com 100% de diesel, onde foram avaliados o sistema de injeção dos tratores, desgaste dos componentes e longevidade do motor com misturas acima de 5% de biodoesel ao diesel.

Após 3 mil horas de trabalho completadas neste mês, a empresa verificou resultados positivos nos testes realizados na usina paulista e comprovam a viabilidade econômica s segurança do biodiesel como alternativa para máquinas agrícolas. A mistura de 5% do biodiesel é liberada e o objetivo da Valtra é garantir segurança aos clientes, podendo estender em médio prazo a garantia de fábrica para misturas de até 100% de biodiesel.

Conforme afirmou o governador Blairo Maggi, durante a inauguração da usina em Barra do Bugres, a produção agrícola brasileira tem no combustível um dos itens que mais elevam o custo e necessita de outras alternativas para redução. E o biodiesel é uma dessas opções que entra com força no mercado que está em expansão, com respaldo científico e tecnológico.

Segundo Maggi, as empresas do setor estão investindo pesado em novas tecnologias que possam alcançar resultados viáveis. “A produção agrícola tem um custo elevado com a aquisição de combustível, que é hoje uma das bases da arrecadação estadual. Porém, sem perder receita, o Estado necessita incentivar outros empreendimentos de onde virão outras receitas para Mato Grosso e com certeza, redução de custos”,destacou.

MERCADO DE BIODIESEL

Conforme dados do Ministério das Minas e Energia, em todo o País 3.500 postos já comercializam o biodiesel e no Estado 34 postos estão

autorizados a comercializar o combustível a Barralcool passa agora à posição de terceira maior usina do País, entre as 14 autorizadas pela ANP.

Em Mato Grosso, a Barralcool é a primeira instalada e em operação de um número de catorze projetos cadastrados no Prodeic, da Secretaria de Indústria, Minas, Energia e Mineração, em diferentes regiões do Estado. Se todos concretizadas, essas usinas terão capacidade de produção de aproximadamente 836 milhões de litros do combustível oriundos principalmente de óleos vegetais.

Segundo previsão do Governo Federal, até dezembro de 2006, a capacidade instalada de usinas produtoras atingirá 580 milhões de litros por ano e o número de usinas chegará a 21 unidades. No próximo ano, 34 novas usinas deverão entrar em operação, enquanto dez unidades serão ampliadas. Juntas, essas usinas somarão mais de 2,2 bilhões de litros de biodiesel/ano à capacidade de produção instalada, resultando em 2,8 bilhões de litros no final de 2007.

Para o ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau, que esteve em Mato Grosso, a produção nacional já é auto-suficiente para atender a demanda de adição do biodiesel ao diesel. “As usinas implantadas representam um novo marco na trajetória do programa nacional de produção e uso do biodiesel, pois é com segurança energética é a prioridade para os países que querem alcançar o desenvolvimento”, destacou.

Biodiesel - O Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB) é uma iniciativa interministerial do Governo Federal para implementação de forma sustentável da produção e uso do combustível, com enfoque na inclusão social e no desenvolvimento regional, com a geração de emprego e renda, sobretudo, por meio do incentivo à agricultura familiar.

A introdução do biodiesel reforça a promoção do uso de fontes renováveis de energia e a diversificação da matriz energética brasileira. Em dezembro de 2004, o Governo Federal lançou o marco regulatório — que autoriza o uso comercial do biodiesel no Brasil. Esse conjunto de atos legais considera a diversidade de oleaginosas disponíveis no País, a garantia do suprimento e da qualidade, a competitividade frente aos demais combustíveis e uma política de inclusão social. Entre outros pontos, o marco regulatório estabelece que a mistura do biodiesel ao diesel de petróleo será feita pelas distribuidoras de combustíveis. As refinarias também poderão fazer a mistura e, posteriormente, entregar o biodiesel B2 às distribuidoras.





Fonte: Da Redação

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/258576/visualizar/