Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Meio Ambiente
Terça - 24 de Outubro de 2006 às 00:35
Por: Alexandre Franco

    Imprimir


O Parque Mãe Bonifácia foi o palco de atrações nesta manhã de segunda-feira, em homenagem ao Dia do Aviador e ao centenário do vôo do 14-Bis, num feito conferido ao brasileiro Alberto Santos Dumont.

O Grupo de Operações da Polícia Militar de Mato Grosso por volta das 11 horas sobrevoou o parque de helicóptero prestando uma singela homenagem ao inventor. Na oportunidade também foi demonstrado pelo Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Cuiabá, toda a utilidade, funcionamento e os procedimentos para lançamentos diários de balão sonda meteorológico.

“Com estes balões obtemos dados quanto à temperatura, pressão, posição do vento e umidade. É uma instrumentação simples constituída de um balão com gás hidrogênio amarrado a um sensor (importado e pesa menos que 100 gramas sem a bateria que tem duração média de duas horas) que emite ondas de rádio freqüência. Os dados emitidos numa altitude média de 20 mil metros são codificados, analisados e interpretados numa central de receptação das informações que posteriormente serão repassados aos aeroportos”, diz o sub-oficial Cardoso.

Ele explica que cada lançamento deste balão custa em média US$ 1.500 e existe legislação específica no País e há e tratados internacionais para utilização destas sondagens meteorológicas.

Cardoso e mais o sargento Lúcio Ângelo também receberam o público das escolas públicas que prestigiou as comemorações com uma rápida palestra falando sobre a vida e as realizações científicas elaboradas por Santos Dumont que foi sem dúvida um dos maiores inovadores da sua época.

Para a secretária de Estado de Ciência e Tecnologia, Ilma Grisoste Barbosa, este 23 de outubro de 2006 é uma data marcante porque hoje se completa exatos 100 anos desde que um brasileiro entrou para sempre na História por ter conseguido voar com o 14-Bis, que era mais pesado que o ar. “O feito de Santos Dumont nos inspira a também sermos inovadores, ele deu um exemplo pessoal disto, desde o princípio ele acreditou que era possível provar que a sua invenção funcionava. Ele foi um exemplo de persistência e coragem e por isto mesmo se transformou num ícone para a nossa História”, argumentou a secretária.

Valorização da produção local

Conforme interpreta Dr. Wilson Conciani, do CEFET-MT, além das homenagens que são totalmente merecidas a Santos Dumont por sua importante contribuição a Humanidade, a 3ª Semana Ciência no Parque cumpre o seu papel de educar e ensinar com o uso dos valores regionalizados.

“A Ciência no Parque deste ano reforça as realizações locais, mais de uma dezena de entidades está participando do evento demonstrando iniciativas, soluções e desenvolvimento nesta área tecnológica e científica. E isto traz um estímulo para que outras representações comecem desde já a se prepararem para marcar participação em 2007 e por saberem que existe aqui um local apropriado para estarem presentes”.

O CEFET-MT trabalha com propostas bem populares na disseminação da C&T através do estímulo ao aprendizado de línguas como ferramenta indispensável para interpretações e entendimento de nomenclaturas técnicas e estrangeiras, como se tem muito na aviação, por exemplo, e completa sua participação na Semana com a exibição de peças artesanais confeccionadas com vários tipos de materiais recicláveis, como garrafas, tampinhas, madeira e caixas de papelão além de outros projetos com este cunho de conscientização, idéias inovadoras e respeito ao meio ambiente.

Dançarinos especiais fazem homenagem

A Escola Raio de Sol também fez questão de prestar a sua homenagem ao centenário do 14-Bis, ao promover uma apresentação com alunos especiais reproduzindo animadas coreografias ao som de Merengue.

Segundo informou a coordenadora, Eliane Cintra Cunha, o projeto Raio de Sol atende cerca de 145 alunos portadores de deficiência física ou de múltiplas deficiências e visa à inclusão social destas pessoas com atividades sócio-recreativas-pedagógicas acompanhadas por uma equipe composta por 30 professores e uma equipe multiprofissional composta por seis pessoas.

Expectativa acima da média

Não mais expectadoras de primeira viagem, as alunas Larissa Fernanda e Jociely Paula, da 3ª série da Escola Municipal Maria Lucila da Silva Barros, pelo segundo ano visitaram a Semana Ciência no Parque.

“Visitei a feira do ano passado que gostei e a deste ano achei ainda muito mais legal”, diz Larissa que entre as muitas atrações gostou de ver as microscópicas espécies de parasitas e organismos encontrados na água e disponíveis no laboratório de análises montado pela Secretaria do Meio Ambiente. Órgão que inclusive no acesso de saída do parque tem oferecido aos alunos diversidade de mudas de árvores para arborização, como: a caroba e a pata de vaca e de árvores frutíferas, como: a goiabeira, mangueira, cajueiro, pitombeira e tamarindeira.

Outra grande contribuição foi conferida ao projeto da Setec que lançou a Unidade Móvel – Inclusão Digital do Projeto Mato Grosso Ação Digital para capacitação de cidadãos que querem ingressar e seguir os caminhos da informática. Neste espaço do projeto, os monitores puderam comprovar que para muitos estudantes que visitaram o local foi à primeira oportunidade de suas vidas para o manuseio de um computador, abrindo assim às portas para a inclusão digital para estes futuros cidadãos.





Fonte: Da Assessoria

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/266293/visualizar/