Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Saúde
Quarta - 12 de Julho de 2006 às 08:29
Por: Patricia Santiago

    Imprimir


De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde do Maranhão todas as 16 pessoas mortas em conseqüência da Hipovitaminose, problema causado pela deficiência de vitamina B1, eram do sexo masculino, com idade entre 15 e 50 anos.

Segundo o balanço parcial de casos, divulgado pelo órgão de saúde desde que foi iniciada a investigação em 25 de maio, quatro pessoas morreram no município de Davinópolis, cinco em Imperatriz, uma em Montes Altos, duas em Senador La Roque, uma em Açailândia, uma em Itinga do Maranhão, uma em Vila Nova dos Martírios e uma em Bom Jesus das Selvas.

Balanço A Secretaria de Estado da Saúde só confirma 55 casos da síndrome neurológica em 19 municípios da região Tocantina, mas o problema pode ter atingido mais de 80 pessoas em 23 municípios e matado 21. "Segundo dados oficiais da SES, de 24 de maio - data em que o órgão estadual foi notificado sobre os primeiros casos da síndrome neurológica-até esta terça-feira, 16 pessoas foram a óbito por conseqüência da neuropatia na região sudoeste do Estado. Os cinco casos de Santa Luzia do Tide estão sendo investigado", disse Ribamar Cunha, assessor de imprensa da Secretaria de Estado da Saúde do Maranhão.

A última morte foi registrada na noite de segunda-feira em Imperatriz. A vítima era um rapaz de 21 anos que morava no município de Bom Jesus das Selvas. No momento, dois pacientes com Hipovitaminose continuam internados no Hospital Municipal de Imperatriz.

Neurologistas da Faculdade Paulista de Medicina, Unicamp e Instituto Emílio Ribas, que estiveram em São Luís, no final de junho, determinaram a revisão de todos os prontuários de pacientes que apresentaram sintomas semelhantes aos da síndrome. Segundo as autoridades de saúde o resultado deste relatório deve sair nos próximos dias e o número de mortes pode aumentar.

Cartilha A Secretaria de Estado da Saúde começou a distribuir ontem exemplares do protocolo de manejo e tratamento da síndrome neurológica aos médicos do Programa Saúde da Família em 217 municípios maranhenses. Ele é uma espécie de cartilha com o objetivo de ajudar os profissionais de saúde a identificar o problema e tratá-lo corretamente.

"A secretária de Estado da Saúde, Helena Duailibe Ferreira, tem reunião marcada nesta quarta-feira, no Ministério da Saúde, para tratar da questão, com ênfase para uma ação conjunta com o objetivo de suprir as carências nutricionais observadas na população da região atingida", disse Cunha.

Sintomas Ainda segundo a Secretaria de Estado da Saúde a síndrome neurológica tem como sintomas a diminuição da sensibilidade, da força muscular e dos reflexos dos membros inferiores, ou seja, as pernas. Em estágio avançado, o quadro pode evoluir para taquicardia e a falência cardíaca com miocardiopatia dilatada (coração grande).

Todos os casos suspeitos devem ser notificados pelos profissionais de saúde à Secretaria de Saúde de cada município.





Fonte: Terra

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/289663/visualizar/