Repórter News - reporternews.com.br
Politica Brasil
Segunda - 12 de Junho de 2006 às 06:55
Por: Márcia Raquel

    Imprimir


Nas últimas duas eleições proporcionais em Mato Grosso, de 2002 e 1998, apenas um deputado estadual, uma única vez, obteve votos nominais suficientes para se eleger. Alguns deputados federais até chegaram perto de atingir o quociente eleitoral, mas nenhum conseguiu. Em alguns casos, além dos votos dos outros candidatos, o chamado voto de legenda foi essencial para a conquista da vaga.

O quociente eleitoral é o número de votos que cada partido ou coligação precisa para conquistar uma vaga no Legislativo. Ele é obtido através da soma dos votos nominais de todos os candidatos do partido ou coligação e dos votos de legenda, divididos pelo número de vagas disponíveis.

O deputado estadual José Riva (PP) foi o único entre os deputados estaduais e federais que conseguiu se eleger somente com os seus votos. Na eleições de 2002 ele foi o campeão de votos, com 65.389, ultrapassando o quociente eleitoral, que foi de 53.289 votos. Riva foi eleito pelo PSDB. Humberto Bosaipo (PFL), na época no PL, se aproximou do quociente com 52.319 votos.

De acordo com dados do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), na eleição de 2002, por exemplo, a coligação formada pelo PL, PT e PMN só conquistou duas vagas na Câmara Federal, uma para Carlos Abicalil e outra para Welinton Fagundes, graças aos 27.221 votos de legenda. Os três partidos tiveram 307.919 votos nominais, que seriam insuficientes para garantir os dois parlamentares, uma vez que o quociente eleitoral foi de 158.958.

Nas duas últimas eleições para deputado federal (2002 e 1998), os votos de legenda somaram respectivamente 119.677, ou 8,89% do total de votos, e 116.185, ou 10,79% do total.

Pelos dados do TRE, o PSDB é o partido que mais faz votos de legenda. Em 2002 a coligação campeã nesse quesito foi a formada pelo PMDB e pelo PSDB, com 34.782. Já em 1998, a coligação composta pelo PSDB, PMN, PSB e PV obteve 56.731 votos de legenda, ultrapassando a coligação adversária, que obteve 38.781 votos.

Quanto à disputa estadual, o PSDB também liderou o voto de legenda. No entanto, em alguns casos, esses votos não foram determinantes para a distribuição das vagas, ou seja, não serviram para garantir vagas a mais do que as conquistadas pelos votos nominais de todos os candidatos dos respectivos partidos ou coligações.

Porém os votos de legenda, muitas vezes, representam mais do que os votos individuais de deputados eleitos. É o caso do PT em 2002, por exemplo. Os votos de legenda da coligação PT/PCdoB, foram 21.446, enquanto o deputado estadual Ságuas Moraes obteve 21.432 e a deputada Vera Araújo, 16.198.

Nas eleições de 2002, o total de votos de legenda foi de 144.401, ou 10,72% do total. Já em 1998, os votos de legenda somaram 101.408, ou 9,42%.




Fonte: Diário de Cuiabá

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/295338/visualizar/