Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Economia
Quinta - 11 de Maio de 2006 às 07:27
Por: Marcondes Maciel

    Imprimir


O governador Blairo Maggi conheceu ontem pela manhã, em um dos estandes do salão do Encontro Internacional dos Negócios da Pecuária (Enipec), no Centro de Eventos Pantanal, em Cuiabá, o sistema de gestão de riscos do agronegócio que foi implementado pelo Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea/MT) em parceria com a empresa de consultoria Modulo Security, para o controle da febre aftosa no Estado.

“Estamos fazendo dentro deste trabalho a análise de risco e diagnóstico de susceptibilidade de contaminação do rebanho pelo vírus da aftosa”, explica o coordenador do projeto, Edgard Costa.

Segundo ele, os diagnósticos realizados até agora pela Modulo Security apontam que o risco de contaminação em Mato Grosso é baixo. “Podemos afirmar até mesmo que Mato Grosso é o líder na gestão de aftosa no País e serve de modelo para o mundo”.

Com este trabalho, o governo pretende convencer a comunidade internacional de que a aftosa está efetivamente sob controle no Estado e não representa risco de apresentar focos. O último caso de febre aftosa na região foi registrado há mais de 10 anos.

O sistema de gestão de risco, lançado no ano passado pelo Estado, já diagnosticou cerca de 400 propriedades rurais mato-grossenses nas áreas animal, vegetal, social, ambiental e trabalhista.

“Fizemos a análise de risco e o diagnóstico de possíveis focos de doenças na área animal e também de ocorrência de ferrugem asiática da soja nas lavouras, mas não encontramos anormalidades”, explica Edgard.

Na área animal, os pesquisadores estão avaliando questões como a vacinação, o transporte e trânsito de animais e a comunicação da vacinação. “A partir daí preparamos o diagnóstico e o remetemos ao Indea para as providências que se fizerem necessárias”, informa o coordenador do projeto. As informações, disponibilizadas em um banco de dados, também podem servir para a tomada de decisões do governo ou mesmo gerar subsídios para a definição de ações e metas dos órgãos sanitários.





Fonte: Diário de Cuiabá

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/301808/visualizar/