Repórter News - reporternews.com.br
Economia
Quarta - 26 de Abril de 2006 às 07:58
Por: Marcondes Maciel

    Imprimir


A Distribuidora Ipiranga lançou esta semana uma ofensiva de preços na Grande Cuiabá, acirrando ainda mais a disputa no concorrido mercado de combustíveis. Desta vez, os preços da gasolina despencaram 13% sobre os valores médios praticados no final da semana passado (R$ 2,98). A acomodação de preços positiva ao consumidor começou no início da semana passada, quando o litro da gasolina passou de uma média de R$ 3,05 a R$ 3,01, para cerca de R$ 2,91 a R$ 2,89.

Com a “promoção”, que não tem tempo para acabar e vale para toda a rede Ipiranga -- quatro postos em Cuiabá e dois em Várzea Grande -- o preço do combustível caiu para R$ 2,59.

De acordo com informações de gerentes e frentistas da rede, as vendas aumentaram mais de 50% só nos primeiros dois dias da campanha, segunda e terça-feira.

“O crescimento está dentro das nossas previsões. A reação foi imediata e já era esperada”, diz o gerente do posto América, bandeira Ipiranga, localizado na avenida Barão de Melgaço, Odacir Sagin.

Ele informou que a promoção é válida somente para os pagamentos à vista e exclusivamente para a gasolina original Ipiranga. “Os demais produtos permanecem com os preços adotados pelo mercado e não sofreram alterações”, esclarece.

A rede de postos América está informando os consumidores de que poderá, a seu “critério e sem aviso prévio”, suspender ou continuar a promoção da gasolina, independente de outros revendedores Ipiranga.

A expectativa dos postos, entretanto, é de que a campanha dure pelo menos duas semanas, o necessário para forçar outras distribuidoras a também mexerem no preço.

Segundo informações da rede, a gasolina original Ipiranga não possui similar na concorrência, “uma vez que contém um componente químico que a identifica como um produto genuinamente Ipiranga, dando aos órgãos fiscalizadores e aos consumidores transparência de que o produto é da mais alta qualidade, proporcionando ao veículo excelente desempenho e rendimento por quilometragem rodada”.

EFEITO IMEDIATO – Os novos preços para o litro da gasolina também causaram reação, quase que imediata no mercado. A rede Ipiranga amanheceu de domingo para segunda-feira com preços reduzidos. Outras redes como Free e outras de bandeira branca (que podem comprar de qualquer distribuidora), nem esperam o amanhecer da terça-feira para alterar preços. O reajuste negativo foi sendo feito ao longo do dia. Ontem pela manhã, alguns já abriram as portas com o litro por até R$ 2,58, um centavo a menos em relação a Ipiranga.

CONSUMIDORES – A campanha pegou de surpresa e ganhou a simpatia dos consumidores. “Não informaram, não avisaram que iam fazer a promoção, mas o importante é que na prática vemos o benefício desta medida para nós, consumidores, que vínhamos sendo massacrados pelo setor”, disse o servidor público Moacir Santana dos Anjos.

Ele afirmou que os preços poderiam estar mais baixos. Se vendem [a gasolina] por esse preço é porque não está dando prejuízo para ninguém. Na verdade, os consumidores é que estavam sendo explorados pelo cartel das distribuidoras”, acusa.

Na avaliação do estudante Luiz Felipe Pereira, o governo Federal deveria exercer um controle sobre os preços dos combustíveis, “como era antigamente, para evitar estes abusos”.

O regime de liberdade de preços em toda a cadeia de produção e comercialização de combustíveis -- produção, distribuição e revenda -- vigora no Brasil desde janeiro de 2002. Por isso, não há qualquer tipo de tabelamento, valores máximos e mínimos, participação na formação de preços, nem necessidade de autorização prévia para reajustes de preços dos combustíveis.





Fonte: Diário de Cuiabá

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/304610/visualizar/