Repórter News - reporternews.com.br
Economia
Quarta - 01 de Fevereiro de 2006 às 14:05

    Imprimir


A Secretaria de Fazenda de Mato Grosso publicou hoje portaria reduzindo o preço de pauta do quilo do suíno vivo no Estado. O valor, que era de R$ 2,07, caiu para R$ 1,71. A solicitação foi feita na semana passada pela Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat) que vem registrando quedas consecutivas do preço de mercado do animal. Na última semana, o valor pago pelo quilo do suíno vivo foi de R$ 1,65, valor 18% menor do que a média de dezembro (R$ 1,95) e abaixo dos custos de produção, que oscilam entre R$ 1,40 e R$ 1,60, dependendo do criador.

De acordo com o presidente da Acrismat, Raulino Teixeira Machado, a redução feita hoje pela Sefaz ainda não atende, por completo, a demanda do setor, uma vez que o preço do suíno continua caindo, chegando até a R$ 1,35 em algumas regiões do Estado. “No entanto, a medida já contribui para minimizar o prejuízo do suinocultor, além de indicar sensibilidade do órgão de arrecadação frente à forte crise do setor”, avalia o dirigente da Acrismat.

Há um ano, o preço de pauta do quilo do suíno vivo em Mato Grosso era de R$ 2,85. Durante 2005, esse valor caiu para R$ 2,39, depois para R$ 2,23 até alcançar os R$ 2,07, modificados agora para R$ 1,71.

Situação nacional

A baixa de preço do suíno, que está ocorrendo em todas as regiões criadoras do país, se deve ao excedente de animais no mercado brasileiro. O fim do período de festas de fim de ano e a entrada do verão retraíram o consumo interno. A situação ficou mais complicada por conta do fechamento das importações russas, e de outros países, ao Brasil.

Na próxima semana, o presidente da Acrismat, Raulino Teixeira Machado, participa de reunião emergencial da Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS), em Belo Horizonte, justamente para discutir, entre as associações nacionais, medidas para minimizar os impactos da crise.





Fonte: Só Notícias

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/321491/visualizar/