Repórter News - reporternews.com.br
Economia
Quarta - 02 de Março de 2005 às 07:36

    Imprimir


O Conselho Deliberativo do Fundo Constitucional Centro Oeste (Condel/FCO) aprovou ontem, em reunião extraordinária realizada em Rio Verde (GO), a programação do fundo para 2005 e o repasse de R$ 500 milhões do FAT Integrar para o financiamento da comercialização da safra de milho, soja, algodão, trigo e arroz. “O recurso utilizado neste financiamento deverá ter retorno até o dia 31 de dezembro deste ano”, lembrou o secretário de Indústria, Comércio, Minas e Energia, Alexandre Furlan, que representou Mato Grosso na reunião do FCO. Produtores de Mato Grosso também assistiram a reunião.

Com o objetivo de reduzir as perdas ocorridas pela crise no agronegócio, o Condel aprovou também a prorrogação de dívidas que irá utilizar a mesma taxa de juros originais, conforme previsto no Manual de Crédito Rural. “Essas duas proposições aprovadas pelo Conselho foram à contribuição do Condel para a reunião dos governadores, que será realizada nesta quarta-feira, em Brasília”, analisa Furlan.

O Conselho também aprovou as sugestões de alteração de vários itens do Programa de Conservação Natureza (Pró-Natureza). “Essas sugestões foram encaminhadas pelo grupo de trabalho no qual faço parte, e foram aprovados a ampliação de prazos, o aumento do número de financiados e a possibilidade de capitalização durante período de carência”, diz o secretário.

Durante a reunião extraordinária do FCO, o secretário apresentou a proposição no sentido de que no programa de infra-estrutura econômica fosse financiado dentro do item de transporte rodoviário estradas vicinais, pás carregadeiras, retroescavadeiras, motoniveladores, tratores e caminhões a serem adquiridos por consórcios privados que tenham como única atividade a manutenção, constituição e recuperação de estradas vicinais e coletoras.

“Para analisar esta proposta o Conselho criou um grupo de trabalho que irá estudar o financiamento de veículos automotores em todos os programas do FCO. Esse grupo, no qual estou inserido, terá que entregar em 60 dias a proposta par ser analisada pelo Condel- FCO”, afirma Furlan.

A proposta de redução do porte, com base no faturamento bruto, para o FCO- Empresarial, não foi aprovada pelo Condel do FCO. “Lutamos pela não aprovação dessa proposta apresentada pelo Ministério da Integração Nacional, pois entendemos que ela encarece os custos para os tomadores e dificulta ainda mais a aplicação de 51% de recursos para micro e pequenas empresas.

Outra decisão aprovada pelo Condel foi a proposta de Mato Grosso que permite o acompanhamento da execução dos projetos pelos Conselhos de Desenvolvimentos Estaduais. “Daqui para frente todos os projetos aprovados pelos conselhos terá essa condição”, acrescenta Alexandre Furlan.

Hoje, Alexandre Furlan estará em Brasília participando da reunião dos secretários de Estado de Indústria e Comércio. Além desse compromisso, o secretário tem agendado no mesmo dia uma audiência com o ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, durante a qual o secretário tratará de assuntos de interesse da indústria madeireira. (Com Assessoria)




Fonte: Diário de Cuiabá

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/355932/visualizar/