Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Cultura
Quarta - 13 de Outubro de 2004 às 19:19

    Imprimir


Foi lançada nesta quarta-feira (13), em São Paulo, a Caravana Universitária de Cultura e Arte – Paschoal Carlos Magno, da União Nacional dos Estudantes (UNE) em parceria com a Secretaria da Identidade da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura.

De acordo com o secretário da Identidade e da Diversidade Cultural, o ator Sérgio Mamberti, “existia uma aliança entre os estudantes e artistas com um papel central na construção do país, mas que foi vítima do projeto da ditadura militar de destruição da participação cultural”.

Para Manberti, “nunca se conseguiu reconstruir” o circuito universitário de cultura, “apesar dos esforços da UNE”. “Desde que assumimos, deixamos claro que é importante para o ministério a retomada dessa produção universitária e que queríamos fazer isso em parceria com a UNE”, declarou.

O presidente da UNE, Gustavo Petta, dissse que a caravana quer incentivar a criação de outros Centros Universitários de Cultura e Arte - Cuca. Atualmente, existem apenas três Cucas: em São Paulo, Salvador e Campina Grande (PB). Outros cinco serão criados ainda este ano. Todos eles farão parte do programa do ministério de criação dos chamados Pontos de Cultura. Os pontos serão centros de criação cultural e integração entre artistas e grupos, que já existem ou serão instalados. O governo financiará até R$ 7 mil mensais e a compra de materiais.

A caravana irá passar por 14 estados. Ela começará nesta sexta (15), em Manaus, e terminará em São Paulo, em novembro. Segundo Petta, “a caravana quer envolver a universidade na discussão de uma nova política cultural para o país”. Durante a passagem da caravana serão realizados debates, apresentações e oficinas nas universidades.

O nome da caravana homenageia o criador do Teatro dos Estudantes do Brasil, o ator e dramaturgo Paschoal Carlos Magno. Carioca, nascido em 1906, ele também foi romancista e diplomata de carreira. Magno ajudou a criar vários grupos importantes na história do teatro brasileiro, como Grupo Oficina e o Teatro Experimental do Negro. Entre o final da década de 50 e o inicio da de 60, ele organizou festivais de teatro estudantis que percorriam o país. Paschoal Carlos Magno morreu em 1980.




Fonte: Agência Brasil

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/372090/visualizar/