Repórter News - reporternews.com.br
Agronegócios
Quarta - 07 de Julho de 2004 às 14:00
Por: Carlos Martins

    Imprimir


O desenvolvimento da agricultura em Mato Grosso continua atraindo a atenção de produtores de várias partes do mundo. A exemplo de outras visitas, procedentes de países tão díspares como Estados Unidos e China, uma caravana composta por 35 produtores rurais, técnicos e corretores argentinos percorre o Estado desde o último dia 03.07. Na manhã desta quarta-feira (07.07) a visita foi ao governador Blairo Maggi, que recebeu a comitiva em seu gabinete. Durante pouco mais de uma hora Maggi explicou como funciona a administração do Estado, detalhou as obras e investimentos feitos pelo Governo em diversos setores e também respondeu a várias perguntas relacionadas à produção agrícola.

Os integrantes da comitiva integram a Associação Argentina de Consórcios Regionais Agrícolas (Crea) e vieram de várias regiões, entre as quais Buenos Aires, Mendonza, Santa Fé, Córdoba. São produtores e dirigentes de grandes empresas agropecuárias que realizam uma viagem de capacitação técnica. Depois de percorrerem fazendas na região de Primavera do Leste e de Rondonópolis, onde também visitaram a Fundação Mato Grosso, eles chegaram nesta quarta-feira a Cuiabá para a visita ao governador. A próxima etapa é São Paulo, para onde partiram logo após a audiência, onde visitam a Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM & F). A última etapa é no Paraná, onde irão conhecer o porto em Paranaguá. Dali, no dia 9, voltam para Buenos Aires.

Os altos índices de produtividade na cultura da soja, aliado ao fato de que Mato Grosso é o maior produtor nacional da leguminosa e também do algodão, são fatores que incluem o Estado em qualquer roteiro que se faça. A visita à Fundação Mato Grosso, por exemplo, foi considerada “excelente” pela comitiva. A FMT é a responsável pela pesquisa genética que ao longo dos últimos 20 anos colocou Mato Grosso na liderança da produção de soja, ao criar variedades resistentes a pragas e adaptadas ao clima do Cerrado.

Maggi, acompanhado do secretário de Projetos Estratégicos, Cloves Vettorato, explicou aos produtores que ao assumir o Governo do Estado no ano passado procurou trazer par a administração sua experiência na área rural. “Buscamos parcerias com os produtores rurais”, disse o governador e isso permitiu que se iniciasse um programa de recuperação de estradas, as quais foram encontradas em estado precário. O resultado, é que com a contribuição de vários segmentos (soja, madeira, algodão, pecuária e óleo diesel), que pagam o Fethab (Fundo Estadual para o Transporte e Habitação), foi possível pavimentar no ano passado 509 quilômetros de Estrada. Atualmente, 43 consórcios ou frentes de trabalho estão formados para dar andamento as obras rodoviárias. Além disso, ainda com os recursos do Fethab, até março do ano que vem 20 mil casas populares estarão construídas por meio do Programa Habitacional Meu Lar.

Maggi enfatizou que a tônica de seu Governo é a transparência, eficiência e ousadia. E isso já repercutiu no momento em que os contratos começaram a ser firmados para a construção de estrada. Se antes, de acordo com os contratos antigos, se gastava R$ 700 mil para construir um quilômetro de estrada, hoje sai por R$ 200 mil. “Neste ano asfaltaremos mais mil quilômetros de estrada. Ao final de quatro anos de governo, serão três mil quilômetros de estradas pavimentadas”, disse Maggi, ao grupo coordenado pelo dirigente da Crea e também empresário rural Teodoro Zorraquin.

Preservação do Meio Ambiente em Mato Grosso – que usa o satélite para monitorar o desmatamento e punir os infratores -, e a necessidades de investimentos em infra-estrutura para atender a logística (construção de estradas, ferrovias, hidrovias e portos para o transporte da produção) foram outros assuntos abordados. Álvaro Caro, sócio de uma estância (fazenda) produtora de soja, trigo e com investimentos em pecuária, perguntou ao governador sobre as estratégias para o desenvolvimento. Maggi relatou, que uma delas é a atração de empresas fabricantes de máquinas e equipamentos. Ao se instalarem em Mato Grosso, elas recebem incentivos fiscais e para os produtos vendidos dentro do Estado estão isentas de impostos.

No final do encontro, o governador Blairo Maggi recebeu de presente o tradicional mate argentino – juntamente com uma bomba para tomar o chimarrão – e também um livro de fotografias.




Fonte: Secom - MT

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/378570/visualizar/