Repórter News - reporternews.com.br
Ciência/Pesquisa
Segunda - 14 de Dezembro de 2015 às 22:07

    Imprimir


Você limpa sua casa e, momentos depois, seu cachorro vai beber água e espalha o líquido por todo o chão. Não se revolte. É um grande esforço evolutivo para os cães beberem água dessa forma. Um grupo de cientistas norte-americanos estudou a dinâmica dos pets para entender o movimento.

Pesquisadores do Instituto Politécnico e Universidade Estadual da Virgínia e da Universidade de Purdue estudaram 19 cães e geraram um modelo físico para entender como ocorre a interação do animal com a água, em pesquisa publicada na revista PNAS (Procedimentos da Academia Nacional de Ciência).

Para começar, o básico: por que um cão lambe a água ao invés de sugar? Simples: as bochechas dos animais são incompletas e tornam impossível sugar.

O estudo, então, mostrou que existe uma dinâmica por trás do simples ato de beber água pelos animais. Uma diferença logo foi notada entre cães e gatos: os cachorros aceleram a língua mais rapidamente do que os felinos. Primeiro, a língua se estende e fica curvada para trás, em formato de concha. Pouco depois, ela entra em contato com a água, induzindo um borrifo - a sujeira no chão começa aí. A língua então se retrai para a boca e o movimento termina com a mandíbula se fechando.

O processo cria uma coluna de água em direção à boca do cachorro na hora da retração. Antes, imaginava-se que o cachorro acumulava água na parte inferior da língua que, em formato de concha, levava até a boca. Exames de raio-x, contudo, mostraram que a maior parte do líquido cai da língua, e apenas a água aderida à parte de cima consegue chegar até a garganta.

Seu cachorro faz tanta sujeira por causa da curva de trás da língua, que aumenta a coluna de água transportada pelo cão e acaba caindo da boca.





Fonte: DO UOL

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/418942/visualizar/