Repórter News - reporternews.com.br
Policia MT
Terça - 11 de Julho de 2017 às 17:06
Por: Wesley Santiago

    Imprimir


Reprodução

O designer gráfico Neto Monteiro, pai do menino de três meses que supostamente teria sido vítima de uma tentativa de sequestro, no bairro da Manga, em Várzea Grande, esclareceu que a foto de uma mulher que circula pelas redes sociais como se fosse a responsável pelo crime, não tem nada a ver com a suspeita.

“Essa moça que o pessoal está postando nas redes sociais a foto dela, não é quem tentou levar o meu filho do colo da minha esposa. Ela me disse que a suspeita é mais baixa, mais magra e tem cabelo curto”, disse o rapaz, em entrevista exclusiva ao Olhar Direto, na tarde desta terça-feira (11).

À reportagem, Neto relatou o ocorrido. “Ela estava em direção ao PSF da Manga e no caminho viu que estava sendo seguida por um carro. Eles chegaram como se fossem pedir informações, abaixaram o vidro e a mulher olhou para o nosso filho. Com isto, ela correu até o PSF e contou ao pessoal o que tinha ocorrido”.

Depois, Dábila Fanelli enviou um áudio para o marido, contando o que aconteceu. Ele então disse que isto não seria nada e que poderia ser coisa da cabeça dela. Mais calma e depois do atendimento no PSF, a mulher voltou para a rua. A uma quadra do local, o veículo teria fechado o carrinho de bebê, onde ela levava o menino.

“A mulher desceu e falou ‘me dá a criança’. Foi então que minha esposa pegou o nosso filho nos braços e começou a gritar que não, que era para ela sair dali. Dois rapazes que estavam passando interferiram e a mulher entrou no carro e foi embora. Minha esposa ficou em choque, a única coisa que pensou foi vir para casa. Cheguei em casa e ela chorava muito”, explicou o designer.

Neto ainda não sabe quem seriam as pessoas e nem porque eles queriam levar o seu filho. “Fizemos o boletim de ocorrências e estamos esperando as investigações. Fica o alerta para a questão de mais segurança. Foi a primeira vez que ela saiu sozinha com o bebê e aconteceu isto. Já ouvimos falar de casos assim aqui na região. Semana passada, o pessoal estava mandando áudios no WhatsApp sobre isso, não aconteceu com ninguém próximo, mas ouvimos os boatos”.

A delegada Ana Paula de Farias, titular da Delegacia de Defesa da Mulher, da Criança e do Idoso de Várzea Grande, investiga a denúncia feita por Dábila Fanelli. Através da assessoria de imprensa da Polícia Judiciária Civil (PJC), a delegada informou que a polícia está tentando confirmar a história da mãe e que ainda existem algumas pontas soltas na história. Porém, compete as autoridades realizarem a averiguação e saber o que de fato ocorreu.

Investigadores da unidade irão refazer os passos descritos por Dábila para tentar confirmar a história e também procuram por testemunhas do fato, já que a mulher disse ter recebido ajuda contra a suposta criminosa. Mãe e pai das crianças ainda devem ser ouvidos sobre o ocorrido. Um Boletim de Ocorrências foi registrado na tarde da última segunda-feira (10).





Fonte: Olhar Direto

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/425372/visualizar/