Repórter News - reporternews.com.br
Polícia Brasil
Segunda - 04 de Setembro de 2017 às 10:08

    Imprimir


O marido da adolescente Luaine Cerqueira Nascimento, grávida de quase 8 meses, contou detalhes sobre o tiroteio na frente de uma boate que terminou com a morte da esposa dele, neste sábado (2), em Ariquemes (RO). Segundo o auxiliar de serviços gerais Ademias Bastos, de 20 anos, Luaine o chamou para ir de moto na casa de shows e ajudar uma amigo dela que estava embriagado.

“Eu falei pra ela ‘a gente passa em frente e se ele tiver lá a gente para e fala para ele ir embora, se ele não tiver a gente passa direto. Na hora que eu encostei a moto, ela nem chegou a tirar o capacete da cabeça e os segurança já vieram empurrando dois brigando", relembra.
"Ela falou ‘amor, é briga, vamos sair’. Na hora já acertaram o disparo nela. Eu vi ela cair, senti o sangue dela em mim”, diz o rapaz inconformado.

A adolescente, que estava no 8° mês de gestação e tinha 16 anos, chegou a ser socorrida e morreu na ambulância. O bebê do casal também não sobreviveu.
“Tudo que eu estava fazendo era por ela e pelo meu filho. Agora, sem ela e sem meu filho, não sei o que vai ser”, lamenta o jovem.

Após saber da morte, o jovem entrou em desespero ao ver o corpo na ambulância e chorou ajoelhado na frente do veículo.

Luciene Cerqueira, mãe de Luaine, diz estar inconformada com a perda da filha. “Eu recebi a notícia de manhã cedo que a minha filha estava morta. Deram um tiro na cabeça dela. Como que a pessoa chega atirando assim? Eu só quero justiça!”, diz a mãe chorando.

Segundo a Polícia Militar (PM), durante a madrugada os agentes foram avisados que tiros haviam sido disparados próximo a uma casa noturna.

No local, eles encontraram a jovem grávida sendo socorrida e outras pessoas feridas sem gravidade no local, em um clima de muita confusão.

Um militar que estava no local foi agredido durante a confusão generalizada. Ele é o suspeito de efetuar os disparos durante o tumulto na frente da casa noturna.

O policial foi hospitalizado com ferimentos na cabeça e deve ser ouvido pela Polícia Civil quando receber alta.

Além da adolescente atingida com um tiro na cabeça, outras sete pessoas ficaram feridas na durante toda a confusão e quatro foram socorridas pelo Corpo de Bombeiros e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas nenhuma com gravidade.





Fonte: G1

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/426193/visualizar/