Repórter News - reporternews.com.br
Meio Ambiente
Sexta - 02 de Março de 2018 às 11:39
Por: jornadadaagua

    Imprimir


Júlio César Sampaio
Júlio César Sampaio

A WWF-Brasil promove entre dos dias 05 e 08 de março uma expedição ao Pantanal Mato-grossense, denominada “Jornada da Água”. Uma ação que tem como objetivo promover a conscientização sobre a importância da água doce para a sobrevivência dos seres humanos, animais e plantas e para o desenvolvimento sustentável e ainda alertar a sociedade que as cabeceiras do Pantanal, o planalto, estão em alto risco: 55% já foram desmatadas.

A WWF-Brasil quer alertar as pessoas sobre o fato de que a água que utilizamos em nossas casas não “nasce” nas torneiras nem no chuveiro, mas vêm dos rios. A primeira “Journey of Water” foi organizada pelo WWF África do Sul e já aconteceu em outros dois países.

Em Mato Grosso a expedição será realizada ao longo do rio Paraguai, rio que é emblemático não só para o Brasil, mas também para Bolívia, Paraguai e Argentina.

De acordo com a WWF-Brasil a ideia é conhecer “ao vivo” os problemas que ameaçam o rio Paraguai, seus afluentes e o Pantanal como um todo. As ameaças ao rio Paraguai e ao Pantanal são muitas, como desmatamento, nascentes degradadas, construção de hidrovias mal planejadas e mal executadas, falta de saneamento básico e péssimas práticas agropecuárias.

“Vamos levar um grupo diverso de 25 pessoas para que elas possam ver “ao vivo” a situação do Pantanal. É uma oportunidade única! Gostaríamos de convidar a todos que sigam essa aventura por meio do site jornadadaagua.org”, diz o coordenador do Programa Cerrado Pantanal do WWF-Brasil, Júlio César Sampaio.

Além de observar a degradação que atinge a região, os participantes também serão agraciados com a beleza da fauna e da flora do Pantanal.

A expedição será formada por um grupo de 25 pessoas, entre integrantes do staff da WWF do Brasil e da WWF do Reino Unido, dos Estados Unidos, Paraguai e Bolívia, e representantes de diferentes entidades e órgãos, como Unesco, Ministério do Meio Ambiente, Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SEMA), representantes políticos do Pantanal e integrantes do Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal, jornalistas estrangeiros e nacionais e influenciadores. O cantor Gabriel Sater, a cantora Ana Rafaela e o ator João Campos participarão todos os dias da Jornada.

O grupo percorrerá um itinerário rico de informações, conversando e interagindo com os moradores da região. Tudo isso para vivenciar que a água não vem da torneira, mas sim de um rio.

Os temas abordados pela expedição são inúmeros: necessidade de união de forças entre Brasil; Paraguai e Bolívia na conservação do Pantanal (Pantanal Challenge), relação entre o planalto e a planície para a conservação do Pantanal e de seus pulsos hidrológicos; conexão entre uma nascente e um rio e a conexão entre uma nascente e a água que utilizamos no nosso dia-a-dia (nas casas, na produção agropecuária e industrial); desafios atuais para a conservação do Pantanal, sua biodiversidade e serviços ecossistêmicos; ações e resultados do trabalho do WWF-Brasil no Pantanal; lei do Pantanal que ainda está em andamento.

ROTEIRO

04/03 – Chegada dos participantes a Cuiabá

05/03 – Saída de Cuiabá com destino a Diamantino. O que será visto: desmatamento por conta de pecuária extensiva e soja e diversas nascentes do rio Paraguai; agricultura mecanizada intensiva, motor econômico do Centro Oeste brasileiro; impacto de antigos garimpos de diamante na região; passagem pelo pequeno Rio Paraguai, próximo as nascentes, ainda com suas águas limpas sem sedimentos sólidos. Visita a região onde o rio nasce, e visita a Lagoa da Princesa. Retorno para Cuiabá a noite.

06/03 – Saída de Cuiabá para Cáceres. Em Cáceres, será visto desmatamento e lixo e esgoto sendo jogados diretamente no rio Paraguai. Após o almoço, subido pelo rio Paraguai em lanchas por meia hora até a foz do Rio Sepotuba. Retorno descendo o rio Paraguai rumo à pousada Baiazinha (na zona Rural de Cáceres), passando também pelo rio Jauru, podendo observar sinais do desmatamento da mata ciliar. Ao final da tarde, retorno a pousada Baiazinha.

07/03 – Saída de lancha, descendo o rio Paraguai rumo à Estação Ecológica Taiamã, grande área preservada da região. Essa estação ecológica é uma Unidade de Conservação (UC) federal. Nesse dia, os integrantes da expedição irão debater a importância das UC’s para a preservação do Pantanal. Neste ponto, o rio Paraguai está preservado, explorado apenas pela pesca esportiva e comercial (pescadores artesanais). Retorno à pousada Baiazinha no final da tarde.

08/03 – Vôo panorâmico para que os jornalistas possam ter uma visão macro do Pantanal, com sua imensa área selvagem ainda preservada. Retorno para o aeroporto de Cuiabá.





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/427949/visualizar/