Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Cidades/Geral
Domingo - 02 de Dezembro de 2018 às 10:34
Por: Fabiana Mendes/Olhar Direto

    Imprimir


A advogada Raila Weisse de Campos Silva, de 26 anos, presa na manhã desta sexta-feira (30), por envolvimento com membros do Comando Vermelho, forjou o roubo de uma caminhonete Amarok da própria mãe para aplicar o ‘golpe do seguro’, e receber o valor do bem de uma empresa seguradora de veículos. A prisão de Raila aconteceu na operação “Organización” da Delegacia de Repressão aos Crimes de Fronteira (Defron), de Cáceres (a 222 quilômetros de Cuiabá).


A delegada Cinthia Gomes da Rocha Cupido, titular da Defron, disse ao Olhar Direto que ela tinha contato direto e relação de amizade com um dos presos na operação. As investigações duraram seis meses e o relacionamento da advogada com a facção seria recente.

Através de interceptações telefônicas autorizadas pela Justiça, a Defron descobriu que ela havia forjado o roubo de uma caminhonete que pertencia a sua mãe. O objetivo da advogada era aplicar o ‘golpe do seguro’.

O fato ocorreu no dia 16 de setembro. Conforme a polícia, três homens armados teriam rendido o irmão da advogada no bairro Santa Cruz. No percurso de fuga, o rapaz foi abandonado.

Como a polícia já monitorava a advogada descobriu que a Amarok iria passar pela BR-070, fronteira com a Bolívia. Durante o percurso, no km-741, a caminhonete foi vista por patrulheiros da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Na ocasião, o trio abandonou a caminhonete ainda em movimento e fugiu a pé para uma região de mata. A Amarok colidiu em uma árvore e foi apreendida pela Defron.

Ainda conforme a delegada, em audiência de custódia, a prisão da advogada foi mantida. Ela deverá ficar reclusa na Cadeia Pública de Cáceres e responder pelos crimes de falsa comunicação de crime, organização criminosa, associação para o tráfico, estelionato e roubo (por realizar levantamentos para o CV de carros de luxo/caminhonetes em razão de circular em ambientes da alta sociedade).

Raila Weisse é filha do ex-vereador Célio Silva, que morreu em um acidente de carro em outubro de 2017.

Operação “Organización”

A operação foi deflagrada na manhã desta sexta-feira (30), para cumprir 29 mandados de prisão preventiva e seis mandados de busca e apreensão domiciliar contra integrantes da facção criminosa atuante na região. Através da busca realizada no interior da Cadeia de Cáceres, foi possível identificar a lógica de como funciona as entranhas do Comando Vermelho em Cáceres. Na ocasião, foi encontrado farto material de contabilidade (entrada e saída) da facção.

A delegada reforça que todas as lideranças, da maior a menor, foram presas durante a operação, que tem como principal vertente, impedir o crescimento e ramificações da facção em outras regiões.

Conforme destaca a delegada, durante período de investigação, ficou comprovado que as ordens vinham de lideranças presas em Cáceres repassadas para o “Conselho Final” da rua, que na hierarquia da organização, detinham maior poder de comando junto às lideranças intermediárias, intituladas como “vozes finais”, que repassavam as ordens/visão aos “disciplinas”, que executavam do lado de fora os crimes.

A operação mobilizou cerca de 50 policiais e 12 viaturas.





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/429449/visualizar/