Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Cidades/Geral
Quarta - 09 de Janeiro de 2019 às 10:23
Por: Fabiana Mendes/Olhar Direto

    Imprimir


No ano de 2018, em Cuiabá e Várzea Grande, 17 mulheres foram vítimas de assassinatos, sendo que 11 dos casos foram enquadrados como feminicídio, quando envolvem menosprezo ou discriminação à condição de mulher e violência doméstica e familiar (Lei nº 13.104, de 9 março de 2015). Em comparação ao ano anterior, 2016, houve um aumento de 37,5%, quando 16 mortes foram registradas, dos quais oito foram tipificados como feminicídio.

Segundo a Polícia Civil, todos os crimes tiveram os autores identificados, muitos deles presos por mandados de prisão ou em flagrante. No ano de 2015, foram 35 mulheres mortas e seis tipificados como feminicídios.

Feminicídio é o assassinato de uma mulher pela condição de ser mulher. Na maioria dos casos, suas motivações são o ódio, o desprezo ou o sentimento de perda do controle e da propriedade sobre as mulheres.

Segundo o 12º Anuário Brasileiro de Segurança, Mato Grosso é o quarto do país com maior número de crimes de feminicídios. Ao todo, foram registrados 76 casos de feminicídio em 2017. No ano anterior, foram 49. O estado fica atrás de Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul.

Ano passado, Olhar Direto noticiou cinco mortes de mulheres durante o período de uma semana. Os dados foram contabilizados entre o dia 13 e 20 de setembro.

Foram mortas: Érica Oliveira Gomes, de 22 anos, Andressa da Silva Targa, de 21 anos, Rosana Borges das Neves, de 31 anos, Jakielly pontes da Silva, de 25 anos, e Maria Paulina de Mendonça, de 60 anos, conhecida como “Paraguaia”. No último caso, a vítima teve cabeça decapitada e colocada em uma sacola pelo marido, Vagner Pereira Alves, de 25 anos. Ele acabou preso pela Polícia Militar, em Tabaporã, (a 643 quilômetros de Cuiabá).



Cinco mulheres são assassinadas em uma semana; homicídios de mulheres sobem 10%

Tragédia na manhã de Natal



Morreu nesta terça-feira (08), Solange de Almeida, 35 anos, que teve o pescoço cortado pelo próprio marido, Erivaldo Vital, de 27 anos, na manhã de Natal do ano passado (25), no bairro Jardim Atlântida, em Tangará da Serra (244 quilômetros de Cuiabá). Ela ficou 14 dias internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Erivaldo apresentava sinais claros de embriaguez. O fato teria ocorrido após uma discussão entre os dois, logo pela manhã. O homem então pegou um canivete e partiu para cima da vítima, que foi atingida no pescoço, ainda dentro do quarto do casal.





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/429835/visualizar/