Repórter News - reporternews.com.br
Turismo
Sexta - 15 de Março de 2019 às 10:13
Por: Da Assessoria/Rose Domingues Reis

    Imprimir


Viajar está entre as dez principais tendências globais de consumo em 2109, conforme um estudo promovido pela Euromonitor International no ano passado. Mais que uma experiência turística e cultural, os programas de intercâmbio estão agregando cada vez mais vantagens, como mesclar curso intensivo de inglês com a área de inteligência emocional, por exemplo.

Para a professora de pós-graduação e coach, Iracema Irigaray Borges, que já percorreu as melhores universidades do mundo, entre elas Harvard (EUA), em busca de ferramentas de autoconhecimento, a viagem sempre traz um plus quando o assunto é crescimento pessoal e profissional.

“Como curso de coaching, temos dias de imersão total, em que a pessoa sai da zona de conforto e do piloto automático para vivenciar situações novas, a partir de novos ângulos e com isso poderá desenvolver outras percepções da vida e de si mesmo, gerando um impacto profundo e positivo em sua personalidade e na maneira como interage em casa e no trabalho”.

Ela realizou o primeiro curso com esta proposta, por meio de módulos que trabalharam inteligência emocional, em agosto do ano passado, em Malta. Devido ao êxito da experiência, vai repetir a programação em janeiro de 2020, com uma turma de 20 pessoas, mas, desta vez, na África do Sul.

“A escolha do país africano, berço das origens da humanidade e também do Brasil, foi intencional, afinal, que lugar melhor para desafiar o nosso pensar? Vamos aproveitar o ambiente cultural muito rico para estimular os participantes, por meio de técnicas de coaching, a desenvolver modelos mentais e crenças, o que inclui olhar os próprios valores, programação mental, também medos e inseguranças”.

Roland Gradinger, graduado em Turismo pela Escola de Hotel Management & Tourism (Áustria) e diretor da Experimento Intercâmbio em Cuiabá, explica que a iniciativa do programa é inédita e tem uma proposta voltada pessoas a partir de 18 anos, com 15 dias de atividades intensivas na Cidade do Cabo, incluindo dois deles de safari. “É um pacote diferente que inclui acompanhamento da coach em inteligência emocional”.

A administradora Camila Girolometo, 31, estudante de pedagogia, diz que quando surgiu a oportunidade de unir a viagem turística a Malta, no ano passado, com o curso da Iracema não pensou duas vezes, quis unir os conhecimentos úteis para o currículo com a experiência paradisíaca do local. Essa foi a segunda vez que se aventurou fora do Brasil, em 2015 viajou com uma amiga para o Canadá.

“Foi incrível, porque conheci novas pessoas, outra cultura, exercitei outros idiomas (não só inglês). Confesso que após viver algo assim, a gente não volta a mesma pessoa. Posso garantir que quero viajar assim outras vezes”, avalia a administradora que ainda quer fazer um ‘mergulho’, desta vez sozinha, no inglês. “Vai ser mais difícil, mas está na minha lista de prioridades”.

Hygort da Costa Ernst. 30 anos, que trabalha como coordenador de crédito e recebimento em uma empresa de Cuiabá, gostou principalmente do curso de inteligência emocional. “Teve muito peso, pois me ajudou a ficar mais preparado para lidar com as emoções que surgem no meu cotidiano, principalmente no trabalho. O interessante é que fizemos tudo na prática”.

Outro diferencial de fazer intercâmbio é o contato com as outras culturas, de uma maneira em que se estuda o teórico e também põe em prática de tudo que se está aprendendo. “Estamos permanentemente sendo testados, nunca vivi nada igual”, acrescenta Hygort.

Para Andrea Ribeiro Angelini, que também integrou a turma de 17 intercambistas para Malta, diz que viveu tudo muito intensamente: a beleza, a história, as pessoas, o que permitiu possibilidades de olhar para as emoções. “Eu consegui conquistar mais autonomia, ou seja, mais responsável pelo que estou sentindo”.

Conexão com o novo

Sobre os exercícios que o programa propõe, a coch Iracema Borges pontua que visam fortalecer o pilar de autoconsciência, remetendo o tempo todo à pergunta básica: qual é a prioridade que estou vivendo hoje? Ela explica que no cotidiano perdemos muitas vezes o foco no momento presente e deixamos de perceber o impacto das próprias decisões.

“Quando ajo e quando deixo de agir, isso provoca impacto sobre mim e os outros? Minhas ações têm manifestado o meu discurso?”. Estar em um grupo com desconhecidos no exterior também “mexe” com muitas coisas que estavam escondidas, por isso, essa não é uma viagem comum, é uma oportunidade em autoconhecimento.

São utilizadas várias ferramentas, entre elas, o Coaching Game, Punctum e Faces (todas elas da Points of You), também é feita uma atividade chamada Meu Álbum de Fotos, em que o questionamento acaba gerando insights muito profundos: “Você está sendo convidado a olhar pra quê? O que vai deixar nesse lugar e o que levará pra casa?”, acrescenta a especialista.

Programa África do Sul

É um intercâmbio de férias que compreende duas semanas de curso de inglês em uma escola de idiomascom acesso a dois dias de safari e um curso de modelos mentais com a Iracema Irigaray Borges. O investimento é de aproximadamente R$ 6,3 mil (voo não incluso). Por ser uma experiência exclusiva, as vagas são limitadas, já que a turma terá até 20 pessoas. A saída será no dia 17 de janeiro de 2020.

Algo interessante do programa é que não exige que o participante tenha um nível avançado de inglês, pois a escola para alunos internacionais possui até 10 níveis de aprendizado, e as atividades de modelos mentais com a Iracema serão ministradas em português. Outro detalhe: não é necessário visto para o embarque para a África do Sul, somente passaporte válido e vacina contra a febre amarela. Outras informações: (65) 3627-6267/ cuiaba@experimento.com.br.





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/430664/visualizar/