Repórter News - reporternews.com.br
Cidades/Geral
Quinta - 04 de Julho de 2019 às 10:14
Por: Da Assessoria

    Imprimir


O presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (Crea-MT), João Pedro Valente, concedeu entrevista terça-feira, 02 de julho para o Jornal do Meio Dia na TV Vila Real, Record Cuiabá para falar sobre a defesa da continuidade das obras do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) na capital e em Várzea Grande, paralisadas desde dezembro de 2014.

Ao ser questionado pelos apresentadores Naiara Moura e Lucio Sorge, Valente esclareceu que a função básica do conselho é fiscalizar obras de engenharia e agronomia com proposito de proteger a sociedade, ou seja, a população não pode receber uma construção que a coloque em risco.

“Apesar de não estar na gestão na época, tive o cuidado de buscar informações sobre o VLT e me interagir sobre o assunto. Tenho conhecimento que mais de 130 autos de infração foram aplicados só nessa obra. A fiscalização do Crea-MT vai até a obra e verifica se existe um profissional habilitado responsável por aquele projeto, caso não tenha o conselho autua o órgão, instituição ou empresa, que tem dez dias para se adequar”, detalhou o presidente do Regional Mato-grossense.

Ao responder as perguntas dos apresentadores, Valente afirmou que todas as obras dessa natureza foram fiscalizadas pelo Crea-MT e devidamente regularizadas. No pacote de construções da Copa do Mundo encontramos algumas obras contratadas através do Regime Diferenciado de Contratações Públicas (RDC), onde a instituição ou órgão estipulam um valor, como referência.

“A empresa que apresentar uma contraproposta com o preço menor é contratada. O diferencial do RDC, o órgão que propõe a obra, apresenta um projeto básico. Já contratado a empresa ela é que elabora os projetos complementares, foi então que na época encontramos e autuamos várias trincheiras sem esses projetos complementares, principalmente de drenagem”, explicou Valente.

O presidente do Crea-MT afirmou que a maioria dos profissionais veiculados as empresas responsáveis pela execução dessas obras em Cuiabá é do Estado de São Paulo. Então eles não tinham sequer registro no Crea Mato Grosso e foram obrigados a fazer o visto no Crea-MT, apresentar e recolher as devidas Anotações de Responsabilidade Técnicas (ARTs). Já a qualidade da obra, caso esteja correta ou não, esse profissional passa ser o responsável técnico legalizado e com as ARTs recolhidas pela obra, conforme as exigências propostas pelo Conselho.

“ É necessário que novos estudos sejam refeitos em cima do valor estimado. Existe um conjunto de equipamentos que estão em deposito não sabemos a qualidade e condições de uso. O Conselho esteve presente na vistoria das obras do Veículo Leve Sobre Trilhos na semana passada em Cuiabá e Várzea Grande, juntamente com vereadores da Câmara de capital. É preciso que o Governo de Mato Grosso constitua uma nova empresa para administrar o modal, porque a obra não é trivial, o problema é grande e um dos caminhos para ter viabilidade econômica é buscar de volta o dinheiro que foi desviado para poder ser aplicado, pelo menos na execução do final dessa obra, até porque o VLT é subsidiado pelo governo”, explanou o presidente do Crea-MT.

Texto e fotos: Cristina Cavaleiro/Equipe de Comunicação do Crea-MT





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/432161/visualizar/