Repórter News - reporternews.com.br
Judiciário e Ministério Público
Sexta - 02 de Agosto de 2019 às 15:00
Por: Arthur Santos da Silva/Olhar Direto

    Imprimir


O juiz Darwin de Souza Pontes, da Primeira Vara da Comarca de Canarana (837 km de Cuiabá), concedeu a guarda provisória da bebê indígena Analu Kumayura Trumai ao pai biológico, Kayani Trumai Aweti, em decisão proferida no dia 14 junho. A criança foi enterrada viva em junho de 2018.


Segundo informações divulgadas pela assessoria de imprensa do Poder Judiciário, a decisão foi tomada com muita cautela, com base em estudos psicossociais que indicaram um cenário favorável ao pai.


“Depois de muitos estudos e avaliações de diversas situações, constatamos que a melhor opção era o pai biológico. Ele demonstrou interesse real e sério pela criança, sempre visitava a Analu na Casa da Criança de Canarana, apresentou um bom comportamento desde o início, então entendemos por bem entregar para ele”, disse o magistrado do caso.

Atualmente Analu está morando com a família paterna em uma aldeia da etnia Kamayurá, na região de Peixoto de Azevedo (673 km de Cuiabá).



Além de proferir a decisão referente à guarda provisória, o juiz Darwin Pontes expediu carta precatória ao magistrado responsável pela Comarca de Peixoto de Azevedo, Evandro Juarez Rodrigues, para fazer o acompanhamento periódico do caso. Daqui a seis meses, será analisada a guarda definitiva.

Kutsamin Kamayura, 57, bisavó da bebê, foi denunciada por tentativa de homicídio duplamente qualificado. O crime ocorreu na tarde do dia 5 de junho, na residência da acusada, em Nova Canarana, logo após auxiliar no parto da neta Maialla Paluni Kamayura Trumai, de 15 anos.



Depois de cortar o cordão umbilical, a bisavó enrolou a vítima em um pano e a enterrou no quintal, numa cova de aproximadamente 50 centímetros.



A família não aceitava a gravidez de Maialla pelo fato dela ser mãe solteira. Testemunhas relataram ao Ministério Público que a conduta criminosa foi premeditada e orquestrada semanas antes ao nascimento da criança. A cova foi aberta pela manhã, no dia do parto.



A recém-nascida foi resgatada por policiais militares e civis após uma denúncia anônima.





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/432559/visualizar/