Repórter News - reporternews.com.br
Saúde
Sexta - 23 de Agosto de 2019 às 09:03
Por: Sandra Carvalho/Da Assessoria

    Imprimir


“Não consigo segurar o xixi. E agora?” Quem responde é a fisioterapeuta pélvica Juliana Miranda, que faz parte da equipe multidisciplinar do Instituto de Gastro e Proctologia Avançado (IGPA), de Cuiabá (MT),

A especialista orienta que diante dos primeiros sintomas o ideal é manter a calma e procurar descobrir a causa da incontinência urinária. “Admitir que há algum problema é o passo mais importante. Não é normal passar a não conseguir segurar o xixi de uma hora para outra”, observa Juliana Miranda.

Os primeiros sintomas, de acordo com a fisioterapeuta, aparecem nas situações que envolvem um pouco de esforço físico, como quando você tosse, ri, faz exercícios ou se movimenta e uma pequena quantidade de urina escapa.

Outro sintoma da incontinência urinária é aquela vontade súbita e intensa de fazer xixi em meio às atividades mais comuns do dia a dia. A necessidade de urinar chega a ser tão grande que um pouco de urina acaba por escapar antes mesmo de conseguir chegar ao banheiro.

“Você já sentiu sua roupa íntima ficar úmida sem ter sentido vontade de urinar? Se você acorda durante a noite com frequência para ir ao banheiro ou ao levantar da cama percebe que um pouco de urina escapou durante o sono, estes podem ser mais alguns dos sintomas”, pontua a especialista.

Por último, o sintoma mais evidente. Ele se dá quando a uretra não é mais capaz de segurar urina e praticamente todo o líquido que está na bexiga escapa repentinamente.

“Quanto antes você entender que existe um quadro de incontinência urinária, melhores e mais rápidos poderão ser os tratamentos”, informa Juliana Miranda, lembrando que boa parte dos casos de incontinência pode ser curada ou consideravelmente melhorada com procedimentos simples.

A fisioterapia pélvica especializada e os exercícios físicos são muito indicados. “A fisioterapia pélvica trata problemas no Assoalho Pélvico, que compreende os músculos, ossos e articulações que fazem sustentação dos órgãos como bexiga, reto, útero, intestino e outros localizados na mesma região”, explica a especialista.

O IGPA é especializado em Doenças Inflamatórias Intestinais (DIIs) e conta com uma equipe profissional multidisciplinar como coloproctologista, gastroenterologista, nutricionista e fisioterapeuta.





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/432783/visualizar/