Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Agronegócios
Terça - 05 de Maio de 2020 às 11:16
Por: Da Assessoria

    Imprimir


Ascom/Acrimat

vacina aftosa acrimat.jpg

Como parte do trabalho que a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) vem exercendo em se colocar à disposição para divulgar as ações de vacinação contra a febre aftosa, a entidade informa que as propriedades localizadas nos municípios mato-grossenses de Aripuanã, Colniza, Comodoro, Juína e Rondolândia, e que não poderão mais receber animais vacinados e nem deverão realizar a vacinação contra febre aftosa nesta etapa de maio, devem fazer a atualização de rebanho.

Apesar de não vacinar, estas propriedades obrigatoriamente devem realizar uma atualização de seu estoque bovino da propriedade, informando ao escritório local do Indea-MT pessoalmente ou por e-mail a relação completa do seu rebanho bovino e bubalino.

“Importante ressaltar que essas propriedades apesar de não mais realizar a vacinação, de não poderem receber animais vacinados, podem comercializar animais para qualquer finalidade para as áreas que continuam vacinando em MT e aos demais Estados”, diz o presidente da Acrimat, Oswaldo Ribeiro.

A lista das propriedades que terão estas limitações dentro do estado estão disponíveis no site do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT) no endereço http://www.indea.mt.gov.br/-/14250081-campanha-de-atualizacao-de-estoque-de-rebanho?ciclo= .

A Acrimat já vem informando sobre as alterações no período de vacinação desde 15 de abril. Em MT aproximadamente 400 mil cabeças estão compondo a zona do Bloco I.

O Mapa destaca que estas medidas visam a consolidação do Bloco I e a antecipação da retirada da vacinação do estado do Rio Grande do Sul, que se somam ao Paraná no projeto nacional de ampliação de zonas livres de febre aftosa sem vacinação, que devem cumprir todos os protocolos sanitários previstos no Plano Nacional Erradicação da febre Aftosa (Pnefa).

“Para isso, uma das condições exigidas pela OIE é a suspensão da vacinação contra a febre aftosa e a proibição de ingresso de animais vacinados nos estados e regiões propostas por, pelo menos, 12 meses”, explica o diretor do Departamento de Saúde Animal, Geraldo Moraes.

Para as demais propriedades rurais de Mato Grosso a vacinação contra febre aftosa nesta etapa é obrigatória para o todo rebanho e vai até dia 10 junho, com a comunicação ao Indra-MT devendo ser realizada até dia 20 de junho.





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/435498/visualizar/