Repórter News - reporternews.com.br
Comportamento
Quarta - 13 de Maio de 2020 às 14:40
Por: Isabela Mercuri/Olhar Direto

    Imprimir


Para celebrar os 132 anos de abolição da escravatura e lembrar da importância da luta contra o racismo e a exclusão a Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) realiza, nesta quarta-feira (13), uma extensa programação cultural online. A participação do público é gratuita.

De acordo com informações da assessoria, a programação faz parte do Festival Cultura em Casa, e traz shows de samba e maracatu, apresentações, exibições audiovisuais, debates, palestras e oficinas sobre costumes, religiões e tradições que ajudaram a dar origem à identidade brasileira.

Para o Coletivo Audiovisual Negro Quariterê, a iniciativa da Secel demonstra uma preocupação do Governo do Estado com os profissionais da área da cultura afetados economicamente pelo isolamento social.

"Essa é uma medida de extrema importância, que vai amparar muitos artistas que dependem exclusivamente de apresentações artísticas. Além disso, ressalta que os artistas negros são elementares para a cultura mato-grossense e nacional, por isso, este suporte é um meio de valorizar e reconhecer esses profissionais", declara Luiza Raquel, uma das integrantes do grupo que homenageia o quilombo Quariterê, fundado na década de 1740 e que teve como líderes José Piolho e sua esposa, Teresa de Benguela, primeira mulher a liderar um quilombo na história do país.

A abertura oficial do festival acontece às 19 horas desta quarta-feira (13), mas, antes disso, já às 15h, o músico Virgilinho Batukada oferece uma vídeo-aula sobre música popular inserida na percussão, e às 17h a ilustradora Hiasmyn Lorraynne apresenta formas de aplicação de lambe-lambe na intervenção urbana. Logo em seguida, às 17h30, o capoeirista do município de Sorriso (MT), Hugo Muzenza, transmite a oficina de capoeira, trazendo os movimentos, os rituais da roda e as filosofias da mistura de dança e luta criada pelos escravos.

Às 18h, percussão, canto e poesia serão as linguagens artísticas no show Quilombo de Quintal, do Núcleo Hip Hop em ação. No mesmo horário, as integrantes da Coletiva Slam do Capim Xeroso, Sol e Ananás, exibem a apresentação Poemargens: Tecituras de Poemas à Margem.

A partir das 18h30, o Coletivo Audiovisual Negro Quariterê apresenta "Afroceia - a cultura alimentar quilombola como estratégia de sobrevivência em tempos de crise sanitária". Unindo a exibição de trechos do documentário "A Grande Ceia Quilombola" e debates sobre o livro "Afro Paladar: nutrindo a cultura", a transmissão destaca a partilha, a comunhão e os rituais culinários como determinantes para a qualidade da alimentação.

Também às 18h30 inicia o show "DZ6 MANEIRAS", em que o rapper Breno DZ6 executa musicas autorais intercaladas com causos do Hip Hop mato-grossenses.
Às 19h, o sertanejo se junta ao Kompa - ritmo musical haitiano, na apresentação da banda SERTAKOMPA.

Com a performance "O auto dos corações do mar", Vinicíus Brasilino apresenta, às 19h30, canções em Yorubá e do Cancioneiro popular brasileiro, poesias autorais e trechos de poemas de Castro Alves. A organização inédita vai expressar a dor, as angústias e a fé dos negros escravizados africanos traficados para o Brasil.

Às 20h, acontecem as transmissões do monólogo teatral de Oz Ferreira "Janelas e histórias em encruzilhadas", do show Mc Machel e ainda da oficina Afrohouse, em que o artista Nhantumbo'space traz ensinamentos básicos de dança afro.

Músicas da cultura africana, cantadas em Changana, Nômade e Machopé, línguas maternas de Moçambique, estarão no Show Black, transmitido às 21h. Na live, a artista Shirley Black também apresenta músicas de sua autoria e do ator e poeta Vini Hoffmann.

Também às 21h, a cantora e compositora Mariana Borealis une samba e baião para homenagear a musicalidade ancestral do povo negro, com o show Sambaião. No mesmo horário, o videoclipe Lucrar, do MC Ahgave, enfatiza o direito a uma alimentação sem agrotóxicos e à demarcação de terras de povos originários, como quilombolas e ribeirinhos.

A programação em homenagem ao povo afro-descendente prossegue na quinta-feira (14.05), com Show "Omo Oyá", uma mistura de rap com maracatu da artista Pacha Ana. A apresentação, que será feita às 19h, faz um resgate histórico da ancestralidade com músicas do primeiro disco de rap feminino de Mato Grosso.

Todas as transmissões acontecem diretamente das mídias sociais dos artistas. Confira.

Quarta-feira (13.05)
15h: Oficina Percussão Popular Brasileira
YouTube/ Virgilinho Batukada | facebook/@virgilinho.batukada

17h: Oficina Lambe-Lambe Intervenção Urbana
Instagram/ @magianaagulha

17h30: Oficina de capoeira
Facebook/@hugo.c.dossantos.5 | YouTube/@hyugahugo

18h: Show Quilombo de Quintal
Instagram/ @raullazaro102

18h30: Afroceia
Facebook/@coletivoquaritere

18h: Poemargens: Tecituras de Poemas à Margem
Instagram/ @ananax666 / @solpoetao

18h30: AFROCEIA
Facebook/@coletivoquaritere

18h30: show DZ6 MANEIRAS
Facebook/ @brenodz6 | Instagram/@brenodz6

20h: Oficina Afrohouse
Facebook/@herminio.nhantumbo.7

19h: Show Sertakompa
Facebook/@sertakompa | Instagram/@sertakompa | YouTube/ @DucksonJacques

19h30: O Auto dos Corações do Mar
Facebook/@viniciusfernandes09 | Instagram/@viniciusbrasilino

20h: Janelas e Histórias em Encruzilhadas
Facebook/@ozferreira8

20h: Show Mc Machel
Instagram/@machelmtcrew

21h: Show Black
Facebook/@eushirleyy | Instagram/@eushirleyy | YouTube/@ShirleyBlack

21h: Show Sambaião
Facebook/@mariana.borealis | Instagram/@borealismariana

21h: Videoclipe Lucrar
Instagram/ @ahgave | YouTube/ @ahgavemc

Quinta-feira (14.05)
19h: Show "Omo Oyá"
Facebook/@PachaAna | Instagram/@pachaana | Youtube/@pachaana

Mais informações nos sites www.festivalculturaemcasa.com.br e www.cultura.mt.gov.br (no menu Cultura em Casa)





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/435673/visualizar/