Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Politica MT
Terça - 15 de Setembro de 2020 às 12:35
Por: Allan Mesquita/Folha Max

    Imprimir


O ex-governador e ex-ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), classificou como “absurdas” as acusações de que ele tenha implantado um novo sistema de "mensalinho" para comprar apoio de deputados estaduais no período em que comandou o Estado, entre 2003 e 2010. As denúncias constam na delação premiada do ex-deputado estadual José Geraldo Riva, que presidiu o Legislativo por 20 anos.

Por meio de nota, Maggi declarou que as denúncias são ilações. Segundo ele, os números dos repasses à Assembleia por meio de duodécimos comprovam que a acusação de Riva "não se sustentam".

“A versão apresentada pelo criminoso delator não se sustenta, pois basta comparar os orçamentos anteriores com os executados durante a gestão e concluir que: houve significativa redução dos repasses. São números, documentos e não ilações. Assim, são absurdas as afirmações do delator”, diz a nota de Maggi.

Maggi destacou ainda que deixou o Governo do Estado com mais de 90% de aprovação popular por conta da "transparência e eficiência". "Maggi afirma que tomará todas as medidas cabíveis contra acusações infundadas como essa", completa a nota.

MENSALINHO

De acordo com Riva, em 2003, quando assumiu o Executivo de Mato Grosso, o ex-governador decidiu que a propina aos deputados estaduais - pagas desde a gestão de Dante de Oliveira - deveria ser empenhada como suplementação orçamentária da Assembleia Legislativa e deveriam beneficiar até os deputados de oposição. Até então, os acertos estariam a cargo do Executivo, por meio da liderança da bancada, e beneficiavam apenas parlamentares que compunham a base de apoio do governo.

“Esses repasses passam a ser feitos pela Assembleia, esses pagamentos de propina, em um acordo firmado pelo governador Blairo Maggi”, revelou Riva em declaração gravada.

Em sua nova versão, o suposto esquema de pagamento de propinas aos deputados passou a ser feito mediante notas fiscais falsas ou superfaturadas emitidas por empresas que devolviam parte da receita recebida. Pelo menos 71 estabelecimentos, alguns comandados através de ‘laranjas’, teriam participado da operação.

Riva ainda afirma que o novo modelo se manteve na gestão de Silval Barbosa (MDB/2010-2014), que foi denunciado pelo Ministério Público Federal na semana passada por corrupção e associação criminosa após ex-deputados terem sido flagrados em vídeo recebendo propinas em espécie do então chefe de gabinete do ex-governador, em dezembro de 2013.

Íntegra da nota de Maggi:

Sobre a repercussão da delação do ex-deputado José Riva, o ex-governador Blairo Maggi afirma que encerrou seus 8 anos de Governo com 92% de aprovação popular, pois, sua gestão pautou-se na eficiência e transparência. Nunca houve compra de apoio político por parte do Executivo, e por isso, Maggi jamais pactuou com quaisquer irregularidades.

A versão apresentada pelo criminoso delator não se sustenta, pois basta comparar os orçamentos anteriores com os executados durante a gestão e concluir que: houve significativa redução dos repasses! São números, documentos e não ilações! Assim, são absurdas as afirmações do delator.

Maggi afirma que tomará todas as medidas cabíveis contra acusações infundadas como essa.





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/438128/visualizar/