Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Cidades/Geral
Sábado - 21 de Novembro de 2020 às 06:43
Por: Wesley Santiago/Olhar Direto

    Imprimir


Novo levantamento divulgado pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em parceria com a Prefeitura de Cuiabá, aponta que na semana de 8 a 14 de novembro a capital mato-grossense registrou aumento da taxa de ocupação de leitos de Unidades Terapias Intensivas (UTI) – adultas e pediátricas – e também de enfermarias exclusivos da Covid-19.

Segundo as informações do 33º Informe Epidemiológico, a última semana analisada registrou aumento da taxa de ocupação de leitos de UTI adulta (37,8%) e da de enfermaria (16,9%), quando comparadas com a semana passada, tendo em vista que na anterior foi de 31,4% e 14,5% respectivamente.

Além disto, o levantamento da UFMT também mostra que a taxa de ocupação de UTI pediátrica também aumentou (20,0%). O cálculo considera casos descartados, suspeitos ou confirmados, tendo em vista que até o diagnóstico final são necessárias medidas de isolamento que requerem a ocupação de leitos destinados a pacientes com Covid-19.

No dia 14 de novembro de 2020 havia 184 pacientes com COVID-19 internados em Cuiabá – residentes ou não, quantitativo inferior ao observado em 07 de novembro (190). Entre estes, 47,3% ocupavam leitos de UTI (87), percentual inferior ao encontrado na última semana (51,6%).

Passados oito meses desde a confirmação do primeiro caso de COVID-19 em residentes em Cuiabá (14 de março) foram notificados 32.111 casos e dentre eles 86,2% estão recuperados e 9,5% em monitoramento (isolamento domiciliar).

Esta semana (SE 46), foram 266 casos notificados, verificando-se redução de 24,4% quando comparado com a semana anterior, na qual haviam sido notificados 352 casos novos. Até a semana passada, observamos a queda no número de casos notificados desde a SE 26 (21 a 27 de junho), na qual foi observado o maior número de casos notificados semanalmente (2.193) desde o início da epidemia, sendo que desde a SE 41 (04 a 10 de outubro) o número de casos é inferior a 1.000.

“Reafirmamos que a redução no número de casos registrada na última semana em análise deve ser sempre observada com cautela, tendo em vista que muitos casos ocorridos nesta semana, e que ainda não foram confirmados, poderão ser acrescidos nas próximas semanas. Isso ocorre também para outras semanas, contudo com menor intensidade”, diz trecho do informe.





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/439278/visualizar/