Repórter News - reporternews.com.br
Politica MT
Sexta - 08 de Janeiro de 2021 às 16:12
Por: Isabela Mercuri/Max Aguiar - Olhar Direto

    Imprimir


O deputado estadual Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD), afirmou que tomou conhecimento das denúncias envolvendo seu nome apenas pela imprensa, nesta sexta-feira (8), mas que não tem nada a temer porque não participou “de campanha de ninguém”. “Eu quero que fiscalize, que vire minha vida de perna para o ar para ver se tem algo ilícito”, afirmou o parlamentar.


Conforme noticiado pelo Olhar Jurídico, o Ministério Público Eleitoral (MPE) recebeu denúncia de que Nininho e o empresário Eraí Maggi, conhecido como rei da soja, teriam auxiliado financeiramente na compra de apoio político durante a eleição de 2020, em benefício do então candidato ao Senado Carlos Fávaro (PSD). As informações foram repassadas ao órgão ministerial pelo candidato ao Senado derrotado, Nilson Leitão (PSDB).



“Eu tomei conhecimento pela imprensa. E não tem nada que me preocupe porque eu não participei durante campanha de financiamento de campanha de ninguém, eu não era candidato, não participei em nenhum momento. Me surpreende quando vejo uma acusação dessa por uma pessoa, um político que tem uma história já no estado e que deseja voltar à política e vem fazendo acusações vazias do sentido dessa”, lamentou Nininho, durante reunião da bancada federal com o candidato à presidência da Câmara, Arthur Lira (PP), que esteve em Cuiabá nesta sexta-feira.



Segundo Nininho, Leitão perdeu espaço politicamente e, por isso, usa dessa estratégia para argumentar que Fávaro teria ganho a eleição porque tinha mais dinheiro. “Mas o motivo da derrota é que ele já foi muito mal votado na eleição em 2018 e isso comprovou agora, novamente, que a sociedade o rejeitou nas urnas”, afirmou.



“Com relação à minha pessoa, não participei, não financiei, e não tem nada que temer. Eu quero que fiscalize, que analise, que veja e que esclareça. Só que eu acho que essas acusações vazias são muito ruins, porque para você acusar alguém você tem que ter algo de concreto. Ou pelo menos um indício que você estava envolvido ou que passou por perto. Eu não passei por perto disso, não tem nada a ver com esse assunto, me surpreendi quando vi, mas está aí, deixa acabar de esclarecer e vamos ver se tem algo que me atinge”, finalizou o deputado.





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/439893/visualizar/