Repórter News - reporternews.com.br
Judiciário e Ministério Público
Segunda - 12 de Julho de 2021 às 16:35
Por: Da Redação

    Imprimir


O juiz da 51ª Zona Eleitoral de Cuiabá, Jorge Alexandre Martins Ferreira, arquivou um inquérito que investigava o ex-governador de Mato Grosso, Blairo Maggi (PP), por uma suposta doação ilegal de R$ 3 milhões durante sua campanha ao Senado em 2010 – da qual saiu vencedor.

As investigações incluíam o ex-governador Silval Barbosa, vice que havia assumido o Governo do Estado no início de 2010 com a saída de Maggi para disputar o Senado, e que tentava a reeleição como governador naquele pleito. Ele também teria se beneficiado da suposta doação ilegal.

Jorge Alexandre Martins justificou o arquivamento revelando que os indícios de doação ilegal, relatados colaborações premiadas do ex-governador Silval Barbosa e executivos do grupo J&F, dos irmãos Joesley e Wesley Batista, foram “vagas”, e descritas de forma “genérica e superficial”. Os irmão sJoesley e Wesley são delatores premiados na Operação Lava Jato.

“Esgotadas as diligências investigatória da alçada da polícia investigativa, a autoridade policial ponderou que as afirmações dos envolvidos versam sobre fatos descritos de uma forma genérica e superficial, não informando dados consistentes e elementos probatórios mínimos sobre a prática do delito, nenhuma indicação de linha investigatória se vislumbra profícua nesse momento. Assim, por consequência lógica, afigura-se inviável o prosseguimento da investigação criminal iniciada por representação genérica”, explicou o magistrado.

Apesar de revelaram a suposta doação de campanha ilegal em suas colaborações premiadas, nenhum dos delatores disseram “se lembrar” de quando o valor teria sido pago.




Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/444665/visualizar/