Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Nacional
Domingo - 08 de Abril de 2012 às 17:17

    Imprimir


O sistema de alerta que avisa a população dos riscos de deslizamentos em Teresópolis, na região serrada do Rio, tardaram a soar na noite de sexta-feira (6) "porque não havia indicadores seguros do volume de água que iria cair", disse o secretário nacional de Defesa Civil, coronel Humberto Viana. Ele afirmou ainda que o sistema "pode ser melhorado".

Cinco pessoas morreram e 15 ficaram feridas por conta da chuva que atingiu a cidade anteontem (6).

Segundo Viana, quando a sirene tocou o primeiro deslizamento estava ocorrendo. "Quanto mais cedo recebermos a informação, mais cedo poderemos avisar à população."

Apesar do atraso, o secretário disse que "o sistema funcionou" e que muitas vidas foram salvas.

Editoria de Arte/Folhapress

O prefeito de Teresópolis, Arlei de Oliveira Rosa, afirmou que a tragédia ocorrida no município poderia ganhar proporções maiores caso o governo não tivesse instalado sirenes de alerta nas comunidades que vivem em áreas de risco na cidade.

Segundo ele, o alarme das sirenes --instaladas após as chuvas de janeiro do ano passado que deixaram um saldo de quase mil mortes em toda a região, além de centenas de desaparecidos-- permitiu que muitas das famílias que vivem em áreas de risco pudessem deixar suas casas.

Na opinião de Humberto Viana, a melhoria do sistema depende de mais investimentos públicos em equipamentos, estudos e contratação de equipes técnicas, além do treinamento da população.

Segundo o secretário, a população será alertada para deixar as regiões em que a chuva atinja mais de 40 mm.

DESABRIGADOS

No último boletim divulgado pela Defesa Civil de Teresópolis subiu para 994 o número de desabrigados por conta das chuvas que atingiram a região. Cinco pessoas morreram e 15 ficaram feridas.

De acordo com a Defesa Civil, uma nova contagem apontou esse número, entre adultos e crianças. Foram interditadas 160 casas, sendo sete no bairro de Fátima, 30 no Perpétuo, 27 no Rosário, cinco no Barroso, duas no Pimentel, seis no Vale da Revolta, 75 em Araras e Santa Cecília, e oito na Coréia.

  Tribuna de Teresópolis  
Temporal provocou cinco mortes em Teresópolis, na região serrana do Rio de Janeiro
Temporal provoca duas mortes em Teresópolis, na região serrana do Rio de Janeiro

Os desabrigados estão sendo encaminhados a cinco espaços organizados pela prefeitura. São eles: Escola Municipal Marilia Porto (rua Cecília Meirelles, 517, bairro de Santa Cecília), Ciep Sebastião Mello (rua Acre, 432 - Rosário), Centro Educacional Rose Dalmaso (rua Palmira Maria de Oliveira, 131, bairro de São Pedro), Creche São Pedro (rua Luis Noguê Júnior, 771 - São Pedro) e Associação de Moradores do Vale da Revolta.

Os mortos na tragédia são Joice Rosa, 16 anos, do bairro Quinta Lebrão; Jaílson Cunha, 26, do Pimentel; Keila Pires, 26 e Maria Helena, 56, do mesmo desabamento no Bom Retiro; e Rosângela Moraes, 42, de Santa Cecília.

Os feridos foram encaminhadas ao Hospital das Clínicas de Teresópolis ou para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento).

A Defesa Civil ainda informou que equipes estão realizando neste sábado avaliações de danos e vistorias.






Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/54725/visualizar/