Repórter News - reporternews.com.br
Nacional
Quinta - 12 de Janeiro de 2012 às 07:09
Por: Carolina Pimentel

    Imprimir


Depois dos casos de silicone adulterado das marcas francesa PIP e da holandesa Rofil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou nesta quarta-feira (11) a criação de dois cadastros para monitorar os implantes de seios no país.

A Anvisa vai dispor um formulário na internet em que as mulheres poderão fornecer dados sobre a cirurgia de implantes de silicone nos seios, podendo informar sobre problemas com a prótese ou tirar dúvidas. O preenchimento é voluntário.

Outra iniciativa prevê a criação de um cadastro para os médicos, chamado de registro nacional. Após a cirurgia, os profissionais de saúde informarão imediatamente o motivo da operação, local da cirurgia, dados da paciente e também da prótese mamária usada. O banco de dados é semelhante ao de próteses ortopédicas da Anvisa, existente há quatro anos.

O médico não será obrigado a fornecer os dados. O diretor-presidente da Anvisa, Dirceu Barbano, estima que o banco de dados comece a funcionar dentro de dois meses. No começo da semana, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica já havia anunciado a criação de um cadastro próprio para também acompanhar os implantes mamários, que entra em vigor este mês.

A estimativa é que existam de 300 mil a 400 mil mulheres com próteses mamárias no Brasil. Das marcas PIP e Rofil, são cerca de 12,5 mil portadoras e 7 mil portadoras respectivamente.

A diretoria e técnicos da Anvisa reuniram-se hoje com representantes dos cirurgiões plásticos e mastologistas para definir o atendimento a pacientes com próteses das duas marcas, acusadas de terem usado silicone industrial. (W.S)






Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/62156/visualizar/