Repórter News - reporternews.com.br
Internacional
Quinta - 19 de Maio de 2011 às 23:39

    Imprimir


Membros da Defesa Civil, policiais e bombeiros da Argentina iniciaram nesta quinta-feira os trabalhos de resgate dos corpos das 22 vítimas da queda de um avião comercial em uma região afastada da Patagônia, informou a companhia aérea.

As equipes "continuam trabalhando na área realizando operações de resgate dos corpos", indica um comunicado da companhia argentina Sol, responsável pela aeronave que caiu em uma área inóspita da província de Río Negro.

O avião, um SAAB 340 com capacidade para 34 passageiros, caiu na noite desta quarta-feira na região de Prahuaniyeu, vizinha à cidade dos Menucos (1.387 quilômetros a sudoeste de Buenos Aires), quando voava a uma altura muito baixa, segundo testemunhas.

A aeronave havia decolado na província de Neuquén às 20h08 pelo horário local (mesmo de Brasília) da quarta-feira para cumprir o último trecho da viagem com destino à cidade de Comodoro Rivadavia, na Patagônia, mas, às 20h50, estabeleceu o último contato com a torre de controle informando que havia uma emergência.

O acidente, que em princípio foi atribuído à acumulação de gelo nas asas e aerofólios do avião, tirou a vida dos 19 passageiros, entre eles uma jovem de 20 anos e seu bebê de dez meses, e três tripulantes da companhia aérea, que resolveu suspender seus voos no sul do país nesta quinta-feira.

A empresa esclareceu no comunicado que, "diante de alguns episódios inexatos e falsos, reitera que até o momento não existe evidência alguma sobre as causas do acidente que será investigado oportunamente pela Junta de Acidentes da Administração Nacional de Aviação Civil".

"É imprudente falar das causas desta tragédia: é preciso esperar as perícias técnicas tanto da Junta de Acidentes Aeronáuticos como da SAAB, a fabricante sueca do avião", ressaltou aos jornalistas Carlos Rinzelli, diretor do sindicato de pilotos.

"É preciso esperar pelo menos dois meses para ter um julgamento certo do ocorrido, avaliar as circunstâncias. Os aviões que estão voando cumprem todas as medidas de segurança", declarou o sindicalista.

O secretário de Transportes da Argentina, Juan Pablo Schiavi, afirmou que o avião acidentado estava regulado, "tinha passado pelas revisões técnicas correspondentes e seu piloto tinha experiência de mais de 4,5 mil horas de voo comprovadas".

"Foi uma tragédia terrível. Não são frequentes esses acidentes: os SAAB, com 9 milhões de voos no mundo, só registram três acidentes", assinalou o secretário, em declarações a rádios de Buenos Aires.

Também compareceram à área do acidente a prefeita de Menucos, Mabel Yahuar, e funcionários do município, que comprovaram que não houve sobreviventes.

O local da tragédia, onde operam cerca de 60 bombeiros e membros da Defesa Civil, foi cercado para que os peritos possam concluir seu trabalho.

A empresa Sol se dedica aos voos regionais que não são cobertos pelas grandes companhias aéreas e o avião se dirigia à cidade de Comodoro Rivadavia, no extremo sul da Argentina, depois de escalas em localidades do oeste, centro e sudoeste do país.





Fonte: Terra

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://reporternews.com.br/noticia/91156/visualizar/