Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Politica Brasil
Quinta - 25 de Novembro de 2004 às 08:55
Por: Romilson Dourado

    Imprimir


O prefeito eleito de Cuiabá, Wilson Santos (PSDB), já está com o projeto de reforma administrativa praticamente pronto e começa o mandato, a partir de 1º de janeiro de 2005, com 16 secretarias. Decidiu extinguir três pastas (Desporto e Lazer, Comunicação e Agricultura) e optou pela fusão de outras duas (Planejamento com Administração e Serviços Urbanos com Obras) - ver quadro ao lado. Com isso, reduz de 21 para 16 a estrutura do primeiro escalão. A secretaria de Defesa do Cidadão só deve ser criada após a posse.

Acompanhado do atual prefeito Roberto França, Santos, que comandará um orçamento superior a R$ 500 milhões, entrega o projeto na Câmara Municipal na próxima terça-feira. Prevê uma redução anual de R$ 7 milhões com a nova estrutura da máquina.

O prefeito optou por extinguir a Agricultura, a ser transformada em Coordenadoria. Fará parte da Indústria, Comércio e Turismo. A Secom vira Coordenadoria ligada ao gabinete do prefeito, assim como o Desporto e Lazer, com vínculo à Educação.

Santos diz que iniciará o mandato com 15 ou 16 secretarias. Chegou a estudar a idéia de transformar o Cuiabá-Prev em coordenadoria, mas descobriu implicâncias legais. Decidiu, então, mantê-lo, mas com estrutura minima.

Secretariado - O cunhado do ex-governador Dante de Oliveira, Ronaldo Taveira (PSB), é o nome mais cotado para assumir a Secretaria de Governo. Apesar disso, Taveira tem um outro concorrente à cadeira: Rossevelt Coelho (PSDB), assessor de Wilson. O prefeito eleito revela que os dois vão compor o governo, um como secretário e, o outro, não necessariamente no primeiro escalão. Para a Saúde, o PTB, em reunião ontem, decidiu que vai fazer gestão para escolha do médico Aray Carlos da Fonseca, apesar da proposta de se apresentar lista tríplice.

Wilson espera ter o promotor Domingos Sávio na lista dos cinco novos secretários cujos nomes serão divulgados oficialmente na segunda. Ele viaja a Florianópolis (SC), onde Sávio mora atualmente, para convencê-lo a aceitar o convite para a pasta do Meio Ambiente.

O economista José Bussuki, cunhado de Santos, deve ser confirmado como secretário de Finanças. Para a Educação, apesar da negociação adiantada com o deputado Eliene Lima, há outros no páreo, como Aquiles Leite do Nascimento, a vice-prefeita eleita Jacy Proença e o vereador Edivá Alves.




Fonte: A Gazeta

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://reporternews.com.br/noticia/367229/visualizar/