Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Educação/Vestibular
Segunda - 11 de Outubro de 2021 às 20:00
Por: Michael Esquer/Olhar Direto

    Imprimir


Alunos da rede estadual que não se vacinaram contra a Covid-19 não serão impedidos de frequentar as aulas após o retorno 100% presencial das atividades pedagógicas, que devem acontecer no próximo dia 18 de outubro em Mato Grosso. A declaração foi feita por Alcimária Ataides da Costa, secretária adjunta de Gestão Educacional da Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT), durante coletiva de imprensa na última quinta-feira (7).


"A questão da vacinação dos estudantes e qualquer pessoa está sob governabilidade das secretarias municipais de saúde. Portanto, nós da Educação não temos governabilidade ou qualquer instrumento legal para que possamos obrigar ou coagir qualquer pessoa, estudante, quanto ao processo de vacinação", explicou a Alcimária.



Nós da Educação não temos governabilidade para obrigar ou coagir qualquer estudante quanto ao processo de vacinação

O secretário da pasta, Alan Porto, por sua vez, também complementou a posição de Ataides. Segundo ele, o que está dentro do alcance da Seduc-MT é o acompanhemto da cobertura vacinal dos estudantes que estão matriculados na rede estadual. Isto é, a quantidade daqueles que receberam a primeira ou segunda dose dos imunizantes contra o novo coronavírus.
“Até porque esse controle vacinal é uma responsabilidade do próprio município”, explicou Porto. “É claro que a gente trabalha em colaboração com eles. Solicitamos as informações da quantidade de jovens e crianças que já foram vacinados e a gente aguarda esse feedback para fazer esse acompanhamento”, completou.



Apesar disso, na ocasião, o secretário disse que a decisão de retorno 100% presencial baseia-se, entre outras coisas, no avanço da vacinação e na eficácia no cumprimento das medidas de biossegurança nas escolas. Na última semana, por exemplo, entre estudantes e professores, apenas três casos de Covid-19 foram registrados em todo o território mato-grossense.



“Falavam que quando a gente voltasse ia ter explosão de casos e até agora isso não passou de mentira", disse. “Hoje, praticamente todos os profissionais da educação já tomaram a segunda dose. O estado avança na faixa etária dos adolescentes de 12 a 17 anos, enviando vacina aos 141 municípios”, destacou.



Dados



De acordo com a Seduc-MT, monitoramento realizado pela Secretaria Adjunta de Gestão apontou que 68% dos estudantes em todo o Estado já retornaram às atividades na modalidade híbrida, divididos nos Grupo A e B, com revezamento semanal.



A partir do dia 18, o retorno passa a ser obrigatório, com exceção dos estudantes que possuem comorbidades. A estes será garantida a continuidade do ensino de forma remota. Na ocasião, Alan Porto enfatizou que a evasão escolar é outro fator que aponta para a necessidade do retorno das atividades presenciais 100%.



Todas as Diretorias Regionais de Ensino já foram orientadas para reforçarem a busca ativa pelos estudantes que não estão frequentando as escolas, como forma de garantir o direito constitucional de acesso à educação.



Casos de Covid-19 nas escolas



Desde o início do retorno das atividades na modalidade híbrida, no dia 3 de agosto, 237 profissionais da educação testaram positivo para a Covid-19. Levando em consideração o número total de profissionais, 23.700, o índice de contaminação é de 1%.



Já em relação aos estudantes, testaram positivo 238, num universo de 393.450, o que significa contaminação de 0,06% dos alunos. E nas últimas semanas estes dados mostram uma queda mais que significativa.



De 5 a 11 de setembro foram confirmados 21 casos entre os 417.150 profissionais da educação e estudantes. De 12 a 18 de setembro foram 22 casos. De 19 a 25 de setembro 21 casos. De 26 de setembro a 02 de outubro, foram confirmados 11 casos. E de 03 de outubro até às 17h do dia 06, 3 casos.



Medidas de biossegurança



De acordo com o Executivo Estadual, o uso da máscara facial continua obrigatório em todo o Estado de Mato Grosso. O plano de contingência mantém o afastamento do profissional de educação e estudantes que testarem positivo para a Covid-19, pelo período indicado pelo profissional da saúde.



A aferição de temperatura dos estudantes também continuará obrigatória na entrada da escola, não podendo assistir aulas quem apresentar febre. Toda as unidades possuem uma sala de isolamento onde o estudante permanecerá caso necessite aguardar que o pai ou responsável o busque.





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://reporternews.com.br/noticia/447383/visualizar/