Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Politica MT
Quinta - 25 de Novembro de 2021 às 17:10
Por: Max Aguiar/Olhar Direto

    Imprimir


O prazo inicial imposto pelo governador Mauro Mendes (DEM), de ser 31 de dezembro deste ano o prazo final de desincompatibilização dos secretários que vão disputar cargo eletivo em 2022, mudou. Segundo o chefe do Executivo, ele possui absoluta confiança em todos, mas agora eles têm até final de janeiro para deixar os respectivos cargos.


Embora o prazo legal permita que os gestores permaneçam no cargo até o mês de abril, seis meses antes do pleito, o governador admite que existe a possibilidade que nomes do alto escalão sejam exonerados até final de janeiro. A mesma regra deve valer para os adjuntos, dirigentes de empresas públicas e autarquias que queiram concorrer às eleições gerais.



"Vamos deixar os secretários trabalhar. Tenho absoluta confiança e as coisas estão sendo feitas corretamente. A saída deles seria até dezembro, mas agora a meta será no início do ano. Dia 31 de dezembro era a meta inicial", comentou.



Na gestão Mauro Mendes, alguns nomes já são ventilados como possíveis candidatos em 2022. Entre eles, o secretário de Saúde, Gilberto Figueiredo, um dos destaques no staff por ser o mais importante nome no combate da pandemia em Mato Grosso.



Além dele, também são cotados os secretário Silvano Amaral (Agricultura Familiar), Beto Dois a Um (Esporte, Lazer e Cultura), além do advogado Wener Santos (Presidente da MT Par) e Juliano Jorge (presidente da Companhia Mato-Grossense de Mineração).



Mesmo com todos esses nomes sendo cotados na imprensa e nos bastidores, o governador disse que nenhum chegou até ele e firmou que será candidato. "Até agora nenhum chegou e comunicou. Mas intenção e vontade, a maioria tem, mas nenhum me falou. O prazo legal é até abril. No meu caso, até março vocês vão saber", concluiu o governador.





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://reporternews.com.br/noticia/448642/visualizar/