Publicidade
Repórter News - reporternews.com.br
Cidades/Geral
Segunda - 17 de Maio de 2004 às 18:38
Por: Pamela Muramatsu

    Imprimir


Nesta segunda-feira (17.05), 36 alunos da primeira turma do curso de operação de máquinas de construção receberam o certificado de formação básica e uma carta de apresentação assinada pelo governador Blairo Maggi e pela secretária Terezinha Maggi.

A formatura dos treinandos ocorreu no auditório da Secretaria de Trabalho, Emprego e Cidadania (Setec), e contou com a presença de todos os parceiros do projeto, que são o Sindicato das Indústrias da Construção Pesada (Sincop), Acrimat, Volvo, FiatAllis/CNH, Dynapac, supermercados Comper e Biglar.

Os alunos receberam 104 horas/aulas divididas entre teoria e prática. Eles aprenderam a operar e dar manutenção em rolo-compactador, trator esteira, pá-carregadeira, motoniveladora e escavadeira. Além disto, os treinandos também receberam noções sobre cidadania, ética, direitos trabalhistas.

O objetivo do curso é capacitar mão-de-obra para atuar no ramo da construção pesada, principalmente na área de pavimentação asfáltica. Durante o período do curso, que começou no dia 28 de abril e terminou no dia 13 de maio, os empresários do segmento da construção pesada e representantes do Sincop acompanharam as aulas a fim de verificar a possibilidade de emprego para os que tiveram melhor aproveitamento.

A seleção dos alunos foi feita dentro do banco de dados do Sistema Nacional de Emprego (Sine), observando se o perfil apresentado por cada treinando adequava-se às exigências do curso. As empresas fabricantes das máquinas (Volvo, Fiat Allis/CNH, Dynapac) forneceram os instrutores e o Sincop os equipamentos onde os alunos receberam o treinamento prático.

A secretária Terezinha Maggi observa que a Setec está implementando este projeto em virtude da demanda por mão-de-obra capacitada nesta área em Mato Grosso. “O próprio Governo está com diversas frentes de trabalho na área da pavimentação asfáltica, o que tem propiciado a abertura de vagas de trabalho, mas sem a capacitação adequada o trabalhador não consegue suprir a demanda do mercado”, frisou Terezinha Maggi.

Segundo o gerente geral em Mato Grosso da Tecnoeste, concessionária representante das máquinas Volvo e Dynapac, Alfredo Nees, as empresas do segmento da construção pesada encamparam o projeto devido a carência que o setor vem apresentando por mão-de-obra qualificada. “Com o operador capacitado, os ganhos são dos dois lados, pois a empresa economiza nos gastos com manutenção do equipamento, aumenta a produtividade e ainda contribui com o Governo em uma ação de inclusão social e geração de emprego”, disse Nees.

Sobre a formação dos alunos, o presidente do Sincop, Edgar Teodoro Borges, frisou que eles saem do curso credenciados para atuar no mercado de trabalho. “Atualmente, o segmento tem absorvido toda a mão-de-obra qualificada que aparece, em virtude da ausência do profissional capacitado. Com este curso, o trabalhador pode apresentar-se ao trabalho com um diferencial”, destacou Borges.

O representante da Volvo e da Dynapac ressaltou que os treinandos foram capacitados em máquinas de alta tecnologia. Alfredo Nees citou como exemplo a escavadeira, que custa em média R$ 500 mil. “Eles receberam treinamento para operar as máquinas que estão sendo usadas no mercado. Não foram qualificados em cima de sucatas ou equipamentos antigos”, disse.

O presidente do Sincop completou afirmando que o mercado de trabalho está próspero para quem está disposto a ir trabalhar no interior, onde há diversas frentes de trabalho. O formando Sérgio Santos, 25, que está desempregado é um dos que está disposto a deixar a Capital e tentar a sorte nos municípios do interior. “Temos que ir onde há trabalho e este curso abriu as portas para muitos desempregados, que agora possuem preparação para disputar uma vaga. Agora, tenho condições de trabalhar no segmento da construção pesada”, destacou o aluno.

Na carta de apresentação que os alunos receberam está toda carga horária do curso e os módulos nos quais eles foram capacitados. Também há um recado para os empresários: “com a utilização de mão-de-obra com formação básica em operação de máquinas de construção. Sua empresa estará contribuindo com a inclusão social e o resgate da cidadania”.

O presidente da Acrimat, Anildo Lima Barros, finalizou que o empresariado está estimulado a somar com o Governo do Estado nos projetos da área social, pois as portas estão sempre abertas para firmar parcerias. “Nós somos chamados a dar nossa parcela de contribuição, o que não acontecia anteriormente”, disse Barros.




Fonte: Secom - MT

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://reporternews.com.br/noticia/383568/visualizar/